ANO: 25 | Nº: 6405
23/01/2019 Cidade

Moradores de São Domingos reivindicam manutenção e melhorias estruturais para o bairro

Foto: Marcelo Rodriguez Barboza/ Especial JM

Dos seis pontos de ônibus do bairro, apenas um possui abrigo
Dos seis pontos de ônibus do bairro, apenas um possui abrigo

Oito quilômetros distante do centro da cidade, a comunidade de São Domingos está localizada junto a um dos acessos de Bagé. O bairro é a primeira imagem da área urbana para quem trafega pela BR-293, no sentido Dom Pedrito-Bagé. Mas o cenário não é tão convidativo para os visitantes.

Líder comunitária há cinco anos, Marilene Pedroso recebeu a reportagem do Jornal MINUANO na manhã de sábado, quando apresentou alguns dos principais problemas do bairro. Entre diversas questões estruturais, a falta de manutenção é uma das que mais tem destaque. "O São Domingos se transformou num bairro fantasma", conta.

Entre os problemas relatados pelos moradores, a ausência de abrigos nas paradas de ônibus é um dos mais recorrentes. Isto porque dos seis pontos de parada do transporte coletivo, apenas um possui cobertura. "Quando chove, a gente tem que esperar embaixo do guarda-chuva ou contar com a boa vontade dos vizinhos que moram perto, para esperar na casa deles até a chegada do ônibus", conta Marilene.

A falta de manutenção das ruas do bairro, principalmente as ruas de trajeto do transporte coletivo, também foi citada. Moradora do bairro desde que nasceu, há 57 anos, Zulamar Costa Rodrigues conta que não são raros os dias em que o ônibus precisa fazer desvios para conseguir atender todo o bairro. "Minha casa fica em frente a uma parada de ônibus e seguidamente vejo o ônibus com problema para passar aqui. Tem uma valeta que enche de água e fica um buraco no meio da rua, atrapalha o trânsito", conta.

Ela recorda, inclusive, que, ainda em dezembro de 2018, quando trafegava no ônibus no sentido bairro-centro, levou um susto quando o transporte caiu para a lateral da rua, atolado na poça de lama com água acumulada da chuva. "Sobe o valor da passagem e a gente tem que pagar. Mas o que a gente ganha em troca? O que tem de bom aqui no bairro?", questiona.

A falta de saneamento do bairro também é motivo de preocupação para os moradores. Na rua 353, por exemplo, o esgoto a céu aberto invade as casas da rua em dia de chuva forte. "Isso é um problema histórico, faz anos que acontece: cada vez que chove forte, a valeta bota água para fora e entra nas casas do outro lado da rua, que são mais baixas", alega.

Cerca de 20 pontos sem luz nas ruas do bairro e falta de estrutura básica e serviços também foram lembrados pelos moradores. "Estamos esquecidos aqui. Não tem posto de saúde, não tem creche, temos que sair do bairro para consultar. E, agora, no verão, ainda tem o problema do mau cheiro que vem da Estação de Tratamento de Esgotos (ETE), os insetos e bichos que o mato alto atrai. Dia desses matei uma cobra aqui na frente", relata Vanda Melo.

Ação para sanar demandas

Comunicada sobre a situação do bairro, uma equipe da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Desenvolvimento Urbano (Seinfra) esteve no bairro realizando vistoria. De acordo com o responsável pela pasta, Ronaldo Hoesel, o maquinário disponível na secretaria iniciou, nesta semana, uma ação emergencial de manutenção nos trechos utilizados pelo transporte coletivo, que foram danificados em virtude do alto índice de precipitações das últimas semanas. "Já entramos em contato com a empresa licitada para que possamos atender mais localidades. Só teremos condições de colocar o trabalho em dia trabalhando uns dois meses, pois os estragos causados pelas chuvas foram muitos", comenta.

Hoesel destacou, ainda, que no bairro São Domingos, entre as ações a serem realizadas, estão o patrolamento das ruas e a limpeza com corte de grama e manutenção dos brinquedos da pracinha.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...