ANO: 25 | Nº: 6207
24/01/2019 Editorial

Feito, ainda, inigualável

O futebol é um esporte que apaixona, senão todos, uma parcela significativa da população. E é algo em proporções globais, que torna disputas em eventos quase que incomparáveis. Ainda mais quando está em jogo um título, seja ele continental, ou mesmo municipal. O caso é que hoje, em Bagé, há motivos para recordar um feito que, até então, não foi igualado.
Em 24 de janeiro de 1939, há exatos 80 anos, o Guarany, o Índio, se tornou o primeiro e até então único clube do interior do Rio Grande do Sul a sagrar-se bicampeão gaúcho. Veja bem, oito décadas de algo que se, para alguém, possa parecer simples, a história mais que prova se tratar de um desafio dificílimo.
Portanto, sejam alvirrubros, ou mesmo os adversários jalde-negros, a data de hoje deve ser exaltada. E não apenas por colocar Bagé em um prognóstico positivo no âmbito da visibilidade futebolística, mas por motivar memórias, e, claro, histórias.
Não obstante, esta recordação poderá, também, servir como uma espécie de estímulo para que os clubes da cidade, na atualidade, encontrem em sua própria lembrança motivos para almejar desafios maiores, mesmo que sejam tão difíceis como foi o bicampeonato. E não apenas os dirigentes e torcedores, mas principalmente os atletas que, agora, vestem os mantos de alvirrubros e jalde-negros.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...