ANO: 25 | Nº: 6331
25/01/2019 Universo Pet

Os cuidados com os peixe betta

Foto: Divulgação

Bonitos, com cores vivas e com a capacidade de adaptarem-se a espaços pequenos. Os betta são uma das espécies mais solicitadas para quem opta por ter um peixe como animal de estimação. A veterinária Marília Schiefelbein explica que os cuidados com o animal não exigem muitos equipamentos. Mesmo assim, reforça que é necessário oferecer um ambiente adequado, água e ração de qualidade.

O peixe betta pode atingir cerca de cinco anos. Para que tenha longevidade, Marília lembra que é preciso buscar informações para oferecer os cuidados necessários. A profissional explica que o peixe foi sofrendo mutações ao longo do tempo. Inicialmente, ele era um animal sem cor, menor e de temperamento bem mais tranquilo. Com o tempo, ele também tornou-se mais exigente e sensível.

O betta, diferente de outros peixes, também não precisa de bombas para oxigênio. Isso, porque ele possui um órgão chamado labirinto, o que permite que respire o ar atmosférico, assim como os humanos.

Para começar um aquário, Marília explica que a água deve estar com o PH entre seis e oito. Para isso, os tutores devem utilizar um condicionador para aquários, afim de criar um ambiente propício para a vida do animal. Ela comenta que pode ser utilizada água da chuva ou de torneiras. Independente da escolha, porém, é necessário utilizar o produto. Se o vendedor indicar que a água que veio com o peixe pode ser utilizada, ela também deve ser adicionada ao aquário.

Na hora da troca, de 20% a 30% da água antiga deve ser mantida. Isso, como explica a veterinária, para manter a biologia do aquário. A troca pode ser feita a cada 15 dias. Marília também lembra que o aquário vai precisar ser aquecido no inverno, já que o betta não suporta temperaturas muito baixas.

Outra dica importante é manter uma planta natural no aquário. Os bettas ficarão mais ativos em aquários maiores e com vegetação. A vegetação é importante para essa espécie, que vai dormir e esconder-se entre as plantas. Nesses casos, é aconselhável que seja utilizada luz artificial no aquário, para não tornar a água esverdeada. A planta também ajuda no processo de filtragem do aquário. Marília também ressalta a importância de oferecer ração de qualidade ao animal.

Também é importante lembrar que os peixes machos não convivem no mesmo aquário. Os betta são extremamente territorialistas, não aceitam outros animais da mesma espécie e, por isso, apenas um deles pode ficar em um aquário. Já as fêmeas, se estiverem em um aquário maior e com vegetação, poderão viver juntas. Elas não possuem a cauda e são menores. Entretanto, possuem maior variação de cor e podem viver juntas. Machos e fêmeas, como explica a profissional, ficam juntos somente no momento do acasalamento.

Os peixes podem ser uma opção para os tutores que querem ter um tipo de pet em casa, mas pelo espaço ou tempo não podem adotar cães ou gatos. Marília comenta também que essa pode ser uma atividade terapêutica.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias do caderno

Outras edições

Carregando...