ANO: 26 | Nº: 6576
02/02/2019 Cidade

Bioma em foto

Foto: Rafael Lucchesi Balestrin/EspecialJM

Exemplar foi fotografado pelo biólogo e professor Rafael Balestrin
Exemplar foi fotografado pelo biólogo e professor Rafael Balestrin
O tamanduá-mirim é uma espécie arborícola muito comum em ambientes próximos a rios e arroios, vive em florestas e matas ciliares, alimentando-se, exclusivamente, de insetos (principalmente formigas, térmitas e abelhas selvagens, larvas e mel), tem sua atividade noturna, mas também pode ser observado durante as horas crepusculares e diurnas. Bem menor que o tamaduá-bandeira, a espécie habita as regiões naturais no Bioma Pampa e possui cauda preênsil apresentando, no corpo, um desenho de um colete preto, tendo sua coloração amarela-pálida com listras pretas na região escapular. São solitários, trepadores e caminhadores. Refugiam-se nas copas das árvores ou em tocas de outros animais ou ainda podem dormir dentro de tronco de árvores. O tamaduá-mirim tem sido visto, frequentemente, atropelado nas rodovias 153 e 293, o que acaba por acarretar a morte deste animal que vive em áreas preservadas na região da Campanha e serra do Sudeste do RS. A espécie tem status em perigo de extinção, conforme a Internacional IUCN (União Internacional para Conservação da Natureza).

Texto: Anabela Silveira de Oliveira Deble, bióloga e professora do curso de Ciências Biológicas Urcamp. Para saber mais, entre em contato com o curso pelo telefone (53) 3242-8244, ramal 212.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...