ANO: 25 | Nº: 6282
08/02/2019 Cidade

Após homolgação de decreto, Hulha Negra aguarda reconhecimento de situação de emergência

Foto: Joanes Araujo/Especial JM

Documentação foi enviada ao Ministério de Desenvolvimento Regional nesta semana
Documentação foi enviada ao Ministério de Desenvolvimento Regional nesta semana
A Prefeitura de Hulha Negra aguarda o reconhecimento federal da situação de emergência decretada em razão das enxurradas de janeiro. O documento, assinado no dia 18 do mês passado, há obteve homologação por parte do Governo do Rio Grande do Sul, na terça-feira, dia 5.
De acordo com o prefeito de Hulha Negra, Renato Machado, do Progressistas, a anormalidade climática ocasionou danos ao município. "Em 15 dias choveu mais de 500 milímetros. Foi muita chuva num curto período de tempo. Só num dia choveu mais de 120 mm. Nossa malha viária é muito grande. No levantamento dos prejuízos causados pelas enxurradas, foram apontados trechos intransitáveis. A situação é complicada e precisamos da ajuda do Estado e do governo federal para tentar reverter em impasse", salientou o prefeito.
No início desta semana, de acordo com a prefeitura, o município recebeu a visita do major Rinaldo da Silva Castro, coordenador regional da Defesa Civil da Fronteira Oeste. Ele auxiliou na análise da documentação que foi lançada no sistema do Ministério de Desenvolvimento Regional. A ação foi coordenada pelo prefeito e pelo secretário de Administração, Planejamento e Meio Ambiente, Héctor Bastide.
Com a homologação por parte do Estado, os município passa a ter acesso a uma série de benefícios relativos à ajuda humanitária. Por sua vez, o reconhecimento da União garante benefícios como ajuda humanitária, dispensa de processo licitatório, repasse de recurso, auxílio em obras de restabelecimento por meio de Planos de Trabalho.
Em razão do evento adverso, a prefeitura de Hulha Negra solicitou a antecipação de benefícios da Previdência Social e movimentação de contas vinculadas ao FGTS; renegociação de dívidas bancárias junto aos programas de incentivos agropecuários, como Pronaf e Proagro, e o adiamento dos custeios de lavouras e pecuárias. Também foi solicitado ajuda financeira complementar para restabelecer o cenário, conforme planos de trabalho a serem apresentados.
Conforme divulgado, ontem, pelo Executivo, a precipitação em um pequeno intervalo de tempo resultou em significativos danos materiais, bem como prejuízos econômicos e sociais. "Atingiram seriamente a agricultura familiar, registrando prejuízos na produção de leite, na produção de soja, agricultura familiar e pecuária. Os danos causados nas estradas do perímetro rural, principalmente com destruição de aterros nas cabeceiras das pontes e bueiros, e nas estradas com erosão da base (cascalho) da pista de rolamento, tornaram muitos trechos intransitáveis", citou informe emitido para a imprensa.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...