ANO: 26 | Nº: 6588
13/02/2019 Fogo cruzado

Hamm projeta taxa de 42% para a importação de leite

Foto: Divulgação

Ministra, deputado e Alceu Moreira, presidente da FPA
Ministra, deputado e Alceu Moreira, presidente da FPA
Um dia após adiantar, ao Jornal Minuano, a intenção de buscar soluções, junto ao governo federal, para melhorar as condições dos produtores de leite que, recentemente, foram prejudicados pela publicação, no Diário Oficial da União, do fim da taxa de antidumping para a importação do produto em pó da União Europeia e da Nova Zelândia, o deputado Afonso Hamm acompanhou, ontem, agenda organizada pela Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), que se reuniu para tratar, especificamente, da pauta mencionada.
De acordo com Hamm, a agenda foi acompanhada pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e deve resultar em medidas concretas em prol do setor. "O que ocorreu desprotege o nosso produtor e facilita a importação (...) Depois da nossa reunião, junto à equipe econômica, a ministra se dirigiu até a Casa Civil, para dar um telefonema ao presidente (Jair) Bolsonaro de que estamos buscando uma condição de garantia para que tenhamos uma salvaguarda de 42%", mencionou.
De acordo com o parlamentar, se hoje a taxa de importação é de 28%, e havia mais 15%, a possível medida será no sentido de agregar os percentuais. "É nessa linha que o presidente Bolsonaro deverá anunciar, atendendo a nossa ministra e os nossos produtores. São mais de 1 milhão e 150 mil produtores de leite no Brasil; no meu Estado, no Rio Grande do Sul, são mais de 100 mil dependem da atividade", antecipou ao defender, mais uma vez, ser preciso "restringir a importação de leite".

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...