ANO: 25 | Nº: 6382
21/02/2019 Campo e Negócios

Abertura da Colheita do Arroz no RS acontece hoje

Hoje, ocorre a 29ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz, na Estação Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão. O evento, além de destacar uma das principais culturas do Rio Grande do Sul, vai abrir espaço para o Fórum Mercadológico. No encontro, quatro painéis vão abordar as mais diversas temáticas para informar e atualizar os produtores das tendências de mercado, políticas e tecnológicas.

No primeiro painel, o engenheiro agrônomo e jornalista Donário Lopes de Almeida vai falar sobre Agricultura 4.0 e os impactos da digitalização no campo. Logo após, o presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Henrique Dornelles, o diretor executivo do Sindicato das Indústrias de Arroz do Estado (Sindarroz), Tiago Barata, e um representante da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), vão debater o Panorama no período comercial. Logo após, o economista-chefe do Sistema Farsul, Antônio da Luz, aborda a Economia do arroz. Finalizando o fórum, o ex-jogador de futebol Paulo César Tinga, que hoje atua como empreendedor, apresenta a palestra Gestão dinâmica no campo.

Conforme Dornelles, o fórum vai explorar diversos temas com uma amplitude e diversificação de assuntos abordados, desde os aspectos de vanguarda da era digital e vai até a parte motivacional devido às grandes dificuldades que o setor vem enfrentando ora por problemas de preços, ora por problemas climáticos. "Essa abordagem motivacional tem por sentido de adoção de novas posturas para enfrentamento das crises. Não faltarão também os aspectos sobre a abordagem do governo, qual a leitura dos novos planos agrícolas, da economia, para que o produtor não seja pego de surpresa por futuras tendências de futuros programas", destaca, referindo-se à palestra da Economia do arroz.

Além disso, de acordo com o presidente da Federarroz, serão abordadas as dificuldades do governo de intervenção no mercado em virtude da crise fiscal. "Não faltará o debate bastante simples e objetivo sobre o que ocorreu no último ano de comercialização, quais as tendências e o que tem se perpetuado nas nuances comerciais do arroz. Isso vai ajudar os produtores a se qualificarem para um novo ano que já se iniciou desafiador", observa.

A Abertura Oficial da Colheita será realizada até amanhã, com o tema "Matriz Produtiva: Atividade Diversificada, Renda Ampliada". O evento conta com Patrocínio Premium do Irga e Ministério da Agricultura, correalização da Embrapa e realização da Federarroz.

Setor encaminha reivindicações
Medidas que diminuam os custos de produção e a resolução de questões relativas ao Mercosul são duas das principais demandas que a cadeia produtiva orizícola está encaminhando à ministra da Agricultura, Tereza Cristina. Um documento foi previamente aprovado, em reunião da Câmara Setorial do Arroz ontem, em Capão do Leão. As manifestações serão entregues em até duas semanas.

De acordo com o presidente da Câmara Setorial do Arroz, Daire Coutinho, a crise da lavoura orizícola provoca uma redução na área de produção do cereal. A dirigente também diz que a indústria enfrenta dificuldades com a carga tributária. "Além de elevada, é injusta", afirma.

A reunião da Câmara foi prestigiada pelo presidente da Federação das Associações dos Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Henrique Dornelles. De acordo com ele, o cenário atual é diferente de todos os outros anos. Com a redução de oferta, os agricultores estão acompanhando preços nada remuneradores. Nesse contexto, Dornelles destaca que existe uma tendência de mudança do arroz para a soja. Apesar disso, o presidente salienta que a produção de arroz continuará sendo muito competitiva no Rio Grande do Sul. O presidente da Federarroz estima que o endividamento do setor seja de R$ 2,5 bilhões.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...