ANO: 25 | Nº: 6312

Viviane Becker

viviminuano@hotmail.com
Colunista social do Jornal Minuano, Viviane Becker é experiente jornalista de geral e conhecida editora do caderno de variedades Ellas.
22/02/2019 Caderno Ellas

A difícil arte de parar

Foto: Reprodução JM

Adriana Di Lorenzo
Psicóloga e psicoterapeuta psicanalítica
adridilorenzo@uol.com.br

Compromissos, agenda lotada, atividades aceleradas, redes sociais, rotina, enfim, passamos o ano inteiro regidos por regras.

De repente, elas chegam! As férias! As tão esperadas férias! No dicionário Aurélio “substantivo feminino plural. Época de repouso após um ano de trabalho. Dias que se destinam ao descanso. Interrupção das atividades. Tempo de descanso”.

Parece fácil. Contudo, a mudança da rotina, o afastamento do nosso cotidiano, apesar de ser fundamental para a nossa saúde física e mental, pode ser algo assustador para alguns desavisados.

Não é nada fácil parar, desacelerar, olhar-se! Apesar disso, afastar-se dos estímulos repetidos das rotinas que nos ocupam ao longo do ano é fundamental. É a base da criança e do adulto sadio experimentar a espontaneidade que o ócio proporciona. O ser criativo.

Nas férias, temos um espaço de escuta. Uma oportunidade de respiro que proporciona o encontro com nossa subjetividade. Um encontro com o nosso mundo interno.

O pediatra e psicanalista inglês Donald Wods Winnicott trouxe inúmeras contribuições à Psicanálise. Para ele, a palavra criatividade está ligada ao estar vivo, “ao colorido de toda atitude em relação à vida externa, que permite sentir que a vida vale a pena”.

Todavia, o excesso de estímulos que vêm da rotina do dia a dia, muitas vezes, restringe a nossa capacidade de inventar, de criar. De usar a nossa imaginação para dar esse colorido que a nossa vida merece.

Por isso, parar é fundamental! Pois é no encontro com o nosso próprio ritmo, com a nossa própria essência, que conseguimos renovar a nossa capacidade criativa. Reinventamos e fortalecemos nossa capacidade de mudar, de valorizar os bons encontros, os bons amigos. Percebemos melhor o mundo a nossa volta. Parar valoriza nosso trabalho, nossas relações, nossas escolhas. Enfim, renova a capacidade de valorizar a própria vida!

Quintana já dizia que as maravilhas nunca faltaram ao mundo. O que sempre falta é a capacidade de senti-las e admirá-las.

Por isso, Pare! Viva suas férias! Sejam elas quando e onde puder! Sua saúde agradece!

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias do caderno

Outras edições

Carregando...