ANO: 25 | Nº: 6335

Viviane Becker

viviminuano@hotmail.com
Colunista social do Jornal Minuano, Viviane Becker é experiente jornalista de geral e conhecida editora do caderno de variedades Ellas.
01/03/2019 Caderno Ellas

Aproveitar o Carnaval, independente do “como”

Aproveitar o Carnaval, independente do “como”  

 Raquel Barreto

Psicóloga

Mestre em Desenvolvimento Social

CRP 07/06977

 

 

O Carnaval, uma das marcas registradas do nosso País, festa colorida, da alegria, da descontração... está aí, daqui algumas horas.

Esta época é esperada por muitos, pelos foliões, que se preparam, mobilizam amigos, se organizam e para todos os mortais que curtem um feriado prolongado, para viajar, descansar ou colocar em dia “aquelas” questões que estão esperando um momento propício.

 A questão é a seguinte: é uma data recheada de planos e a quem diga que o melhor da festa é esperar por ela, porque quando chega passa muito rápido, e se não for planejada nos mínimos detalhes, corre o risco de algo dar errado e feriadão assim, somente no próximo Carnaval.

Saudáveis os que desejam, os que planejam para si dias de felicidade plena, sem questionarmos aqui o que deixa um e outro feliz, normal pensar em viver momentos agradáveis, com pessoas que quer bem ou simplesmente com quem tem o mesmo objetivo, festejar.

A relatividade do prazer está aí, dançar para uns, dormir para outros, beber, ver gente, sumir do mapa, traz para quem lhe deseja uma sensação de recompensa, o que está faltando é ter vontade, é querer, e se mexer na busca de dias significativos.

Não falta quem critique a causa do prazer alheio, claro, quem está por perto quer cúmplices e parceiros que desfrutem do mesmo prazer e têm resistência em aceitar que o outro queira algo tão diferente para ocupar o seu feriado, óbvio que foliões e sossegados não conseguem se colocar no lugar uns dos outro, simples assim, ou melhor, difícil assim.

Ter histórias para contar devia ser um objetivo de vida. Viver momentos inesquecíveis devia estar escrito bem no topo da lista de prioridades.

Então, o Carnaval por si, pelo que representa ou pelo que oportuniza deve ser melhor aproveitado.

A cultura da reclamação gira muito em torno da falta de conciliação entre tempo e dinheiro, conseguir fazer o que se gosta exige tempo para tal e dinheiro, que afinal de contas permite que aconteça.

Somente o tempo não permite realizações, porque sem dinheiro é bem complicado de se realizar os desejos, mas só o dinheiro também não resolve nada sozinho.

O calendário é um dos recursos mais democráticos que permeia a vida humana, ou alguém foi pego de surpresa com a chegada do Carnaval?

O calendário nos dá o tempo necessário para planejar, o que permite que com antecedência se acumule recursos de todas as espécies, articulando os meios de associar tempo e dinheiro para a realização de um desejo.

O Carnaval é a folga que acaba ficando mais longa, mas feriado mesmo é apenas na terça-feira, sábado é normal e segunda, facultativo. Então, já que a maioria pode emendar, por que não curtir, do seu jeito, à sua maneira, com seus recursos?

Tem os 'reclamões de plantão', que nunca estarão satisfeitos, mas vamos deixá-los no Bloco dos Infelizes.

E para quem não conseguiu neste ano, coloque na agenda: em 2020, a terça-feira de Carnaval será dia 25 de fevereiro. Está muito perto? A terça de 2021 será 16 de fevereiro. Aí é o “querer” que vai fazer toda a diferença.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias do caderno

Outras edições

Carregando...