ANO: 26 | Nº: 6542
02/03/2019 Esportes

Aurélio de Lima Py: o bajeense fundador da FGF e criador do Gauchão

Foto: Reprodução JM

Médico foi quinto presidente do Grêmio
Médico foi quinto presidente do Grêmio
Em 2019, o campeonato gaúcho completa 100 anos de existência. A primeira edição teve o Brasil de Pelotas como vencedor, com uma goleada por 5 a 1, sobre o Grêmio. Curiosamente, o criador do torneio foi o bajeense Aurélio de Lima Py, primeiro presidente da Federação Gaúcha de Futebol (FGF), na época, chamada de Federação Rio-Grandense de Desporto (FRGD), fundada no dia 18 de maio de 1918. Conforme documentos históricos da FGF, a expectativa inicial era de que o primeiro certame fosse realizado em 1918, justamente no ano da criação da entidade. Contudo, foi cancelado, em virtude da gripe espanhola que assolava o Rio Grande do Sul. Por esse motivo, o torneio teve seu pontapé inicial no ano seguinte.
Quando criou o campeonato gaúcho, Py tinha a companhia de Francisco Simões Lopes (vice-presidente), Washington Martins (tesoureiro) e Nestor Fontoura e Joseé Revello (secretários). Ele atendia os interesses da região Metropolitana, visto às profundas ligações com o Grêmio. Inclusive, é considerado "patrono" do clube. Devido ao centenário do estadual e, pelo fato, do pontapé inicial ter sido dado por um bajeense, o Jornal MINUANO traz algumas informações da vida pessoal e profissional do médico Aurélio de Lima Py. Para isso, a coluna teve grande colaboração do Memorial do Grêmio. A reportagem também apresenta o seu tataraneto Roberto Linck, que é jogador e dono do Miami Dade F.C, nos Estados Unidos.

O patrono do Grêmio

Conforme dados disponibilizados pelo Memorial do Grêmio, Aurélio de Lima Py recebeu o título de patrono do clube em sessão do Conselho Deliberativo, em 30 de julho de 1946. Nascido em Bagé, no dia 10 de fevereiro de 1882, desfrutou da montagem durante apenas três anos, visto que morreu em Porto Alegre, no dia 29 de agosto de 1949. Seus serviços prestados ao Tricolor porto-alegrense foram amplos. No quadro social desde 1910, exerceu a função de presidente em 1912-1913, 1915, 1919-1922, 1929-1930. Na Federação Rio-Grandense de Desporto, ocupou o cargo de 18 de maio de 1918 a 18 de maio de 1922.

Vida pessoal e profissional

Quanto à vida pessoal, doutor Aurélio de Lima Py nasceu em 1882, na estância da Candiota, em Bagé. Ele estudou na Escola Brasileira, concluindo o curso primário em 1892. Após, encerrou o curso de humanidades com exames parcelados em Porto Alegre e Rio de Janeiro, em fevereiro de 2000. Na capital carioca, ingressou, no mês seguinte, na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Em 27 de novembro de 1905, defendeu a tese Estudo Clínico da Aortite Atheromatosa e recebeu o grau de "Doutor em Medicina". Ao retornar para o solo rio-grandense, casou-se com Celina Piegas Tavares, em 10 de dezembro de 1906 em Porto Alegre. O casal teve quatro filhos: Ecyla, Cléa, Ayrton e Cely. Em março de 1907, é contratado como professor da Faculdade de Medicina de Porto Alegre. Um ano depois, passa em concurso para o cargo de professor catedrático da Clínica Propedêutica Médica.
No dia 4 de agosto de 2010, em sessão solene na Assembleia Legislativa, em homenagem aos 80 anos do Hospital São Francisco, Py foi homenageado em memória. Ainda na carreira da Medicina, foi provedor da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, entre 1925 e 1930. Em 1938, foi nomeado reitor da Universidade do Rio Grande do Sul, tendo sido o primeiro médico a assumir o cargo. Treze anos depois, a instituição foi federada. Na atividade política, fez parte do Parte Republicano Liberal (PRL). Na Assembleia Legislativa, cumpriu mandato como deputado entre 1924 a 1937. Mas em meio a vida pessoal, profissional e acadêmica, o futebol sempre foi sua eterna paixão.

Tataraneto é dono de Miame Dade F.C

Depois de 100 anos dos feitos de Aurélio de Lima Py, o futebol permanece vivo na corrente sanguínea de familiares. O sonho de ser bem sucedido dentro do esporte levou o tataraneto a seguir o mesmo objetivo, porém, com um caminho bem diferente. Radicado nos Estados Unidos, desde 2002, Roberto Moreira Linck Júnior, 30 anos, conhecido como "Roberto Linck" ou "Betu", decidiu fundar seu próprio clube: o Miami Dade F.C. A criação ocorreu no dia 20 de maio de 2014. Hoje, ele é dono e jogador da equipe.
Natural de Cachoeira do Sul, Linck vive nos EUA desde os seus 13 anos, acompanhado da família. Apaixonado por futebol, começou no futebol de salão profissional, pelo Chicago Storn, e no CSM Ramnic Valcea, da Romênia. Em 2010, assinou contrato na Major League Soccer (MLS), principal liga do país, para jogar pelo New England Revolution. Porém, em 2011, sofreu uma lesão grave no tendão e afastou-se do futebol profissional. "A ideia de criar um time começou quando um amigo meu, que é dono de um grupo em Boston, me falou da necessidade de começar a pensar no futuro. 'Um dia o futebol vai acabar. Se começar agora, daqui a 10, 20 anos, tu estará muito a frente nos teus projetos. Não deixa esperar tua carreira acabar', me falava. Então, quando me machuquei, usei esse tempo para criar meu projeto, que é o Grupo Linck", relata.
E do Grupo Linck, surge a criação do Miami Dade FC, que é vinculado à United Premier Soccer League (UPSL), das divisões inferiores nos EUA. Em pouco tempo, conquistou a National Adult League (NAL), uma espécie de quarta divisão. Hoje, ele tem como sócios, no clube, dois ex-jogadores: o volante Emerson e o meia Fábio Simplício. Mas o Grupo Linck tem um conceito muito mais amplo, com ênfase, também, com tecnologia, moda, eventos e gestão de talentos. A empresa tem como sede em Miami, Flórida, porém, há uma extensão no Brasil, com investimentos da família.
Um dos aplicativos mais conhecidos, desenvolvidos pelo Grupo Linck, é o Ginga Scout, que consiste em proporcionar uma rede de contatos de jogadores com treinadores, olheiros e investidores. A ideia partiu num diálogo entre Linck e o ex-lateral esquerdo Roberto Carlos. "Perguntei para sobre quantos jogadores lhe pediam oportunidade. Ele disse que eram muitos, mas que conseguia ajudar um que outro. Daí, veio a ideia do Ginga Scout. O jogador se registra e encaminhamos o contato para vários treinadores e olheiros do mundo inteiro. Nós já tínhamos a Softmovel no Brasil, que é administrada pelo meu pai e meu tio", comenta.

Visão sobre futebol

Dessa forma, Linck concilia os negócios empresariais com a paixão pelo futebol. Agora, com uma visão mercadológica do segmento, ele aponta que o futebol norte-americano tem crescido exponencialmente nos últimos. Ele acredita que o "salto" se deu quando o meio-campista inglês, David Beckham acertou para jogar pelo Los Angeles Galaxy, em 2007, na MLS. "Cheguei aos Estados Unidos com 13 anos, em 2002. Na época, o futebol não era nem perto do que é hoje, pois evoluiu muito. O impacto foi com o Beckham. O noticiário só falava de futebol, foi um pulo gigantesco. Hoje, o futebol está por todos os lados na cidade, com gente jogando. Hoje, tenho acessos a números e percebo que os clubes tem grandes torcidas e há um interesse muito maior", destaca.
Sobre a semelhança com Aurélio de Lima Py, sobre a paixão com futebol, Linck afirma que o tataraneto é uma de suas principais referências no dia a dia. "Ainda mais que segui esse rumo do futebol, ele é uma referência para mim. Ele tem uma grande história. Sempre as pessoas vêm me procurar e falam das nossas semelhanças, pois ele trabalhava com um clube no Sul do Brasil e eu, trabalho com um do Sul dos Estados Unido. Me espelho nele e espero que um dia eu consiga fazer, aqui, o ele conseguiu no Grêmio. Não foi fácil para ele e o trabalho também não é nada fácil aqui. Mas tenho convicção das minhas ideias para que meu projeto possa crescer. E quanto a Bagé, gostaria muito de visitar a cidade, um dia", finaliza.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...