ANO: 25 | Nº: 6362

Airton Gusmão

redacaominuano@gmail.com
Pároco da Catedral
02/03/2019 Airton Gusmão (Opinião)

Quaresma e Campanha da Fraternidade


No próximo dia 6 de março, quarta-feira de Cinzas, teremos o início do Tempo
Litúrgico da Quaresma e, na Igreja presente no Brasil, estaremos acolhendo
mais uma Campanha da Fraternidade, que terá como Tema: Fraternidade e
Políticas Públicas e, como Lema: “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is
1,27). Essa Campanha da Fraternidade terá como Objetivo Geral: estimular a
participação em Políticas Públicas, à luz da Palavra de Deus e da Doutrina Social
da Igreja para fortalecer a cidadania e o bem comum, sinais de fraternidade.
A Quaresma é um tempo favorável para os cristãos saírem da própria alienação
existencial. A força do Evangelho desperta para a grandeza e para a
profundidade da vida em Cristo. Graças à escuta da Palavra de Deus, somos
levados a intuir a preciosidade da existência cristã e vivermos na liberdade e na
verdade de sermos filhas e filhos de Deus.
Falando das Obras de misericórdia corporais e espirituais, o Papa Francisco nos
recorda que “se, por meio das obras corporais, tocamos a carne de Cristo nos
irmãos e nas irmãs necessitados de serem nutridos, vestidos, alojados, visitados,
as obras espirituais tocam mais diretamente o nosso ser de pecadores:
aconselhar, ensinar, perdoar, admoestar, rezar. Por isso, as obras corporais e as
obras espirituais nunca devem ser separadas” (Mensagem da Quaresma de
2015).
As misericórdias ajudam na superação dos ídolos do saber, do poder e do
possuir. Elas conduzem à solidão, ao isolamento, ao fechamento. As obras
misericordiosas são comunhão, solidariedade, caridade, fraternidade,
proximidade, samaritanidade. Elas são fonte inesgotável de transformação e
identificação com Cristo. Somos convidados na Quaresma ao exercício das obras
de misericórdia como caminho de conversão pessoal, comunitário e social.
Na busca de conversão, de transformação, a Igreja no Brasil oferece no tempo
da Quaresma às comunidades a realidade das Políticas Públicas como
meditação. Aquelas ações discutidas, decididas, programadas e executadas para
toda a sociedade brasileira.
Políticas Públicas: o cuidado do todo realizado pelo governo ou pelo Estado. São
aquelas ações discutidas, decididas, programadas e executadas em favor de
todos os membros da sociedade. São ações de governo ou ações de Estado. De
governo, porque ligado a um determinado executor, portanto, é temporário. De
Estado quando são ações permanentes, ligadas à educação, à saúde, à
segurança pública, ao saneamento básico, à ecologia e outros.

Como cristãos, discípulos missionários de Jesus Cristo, poderíamos perceber as
Políticas Públicas como ações misericordiosas. Participar das discussões e
execução das políticas públicas é ajudar a construir uma verdadeira fraternidade
e resgatar a dignidade de irmãos e irmãs.
Enquanto cidadãos cristãos e eclesiais, vamos procurar nos informar sobre a
Campanha da Fraternidade através dos subsídios elaborados tais como: o texto-
base, o DVD, os encontros quaresmais, o hino e, como diz o objetivo geral,
participar das políticas públicas para fortalecer a cidadania e o bem comum,
sinais de fraternidade.
Façamos a nossa parte. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação,
perseverantes na oração e solidários com os que sofrem. Um bom final de
semana a todos e até uma próxima oportunidade.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...