ANO: 25 | Nº: 6233

Norberto Dutra

redacaominuano@gmail.com
Pastor e presidente da Igreja Assembleia de Deus de Bagé Doutor em Divindade
09/03/2019 Norberto Dutra (Opinião)

A sita (madeira de cetim) ou acácia

A segunda árvore mencionada por Isaías é a sita, mais conhecida como acácia. Essa era muito utilizada devido às suas qualidades específicas e, principalmente, ao fato de ser resistente à putrefação. Isso simboliza, assim, pureza e perenidade, o que fazia dela uma arvore sagrada para muitos povos da antiguidade.
A Bíblia é rica em alusões à madeira da acácia, empregando-a em vários usos sagrados. Foi com madeira de acácia que foram construídos os elementos mais sagrados para os israelitas. Vejamos o que determina o livro de Êxodo sobre a construção de tabernáculo: Também farão uma arca de madeira de cetim (Êxodo 25.10). Também farás uma mesa de madeira de cetim. (Êxodo 25.23) Farás, pois, esses, varais de madeira de cetim e cobri-los-á com ouro. (Êxodo 25.28). Farás, também, as tábuas para o tabernáculo de madeira de cetim (Êxodo 26.15). Farás, também, cinco barras de madeira de cetim para as tábuas de um lado do tabernáculo. (Êxodo 26.26) E o porás sobre quatro colunas de madeira de cetim cobertas de ouro. (Êxodo 26.37) Farás também o altar de madeira de cetim. (Êxodo 27.1) Farás também varais para o altar, varais de madeira de cetim, e os cobrirás de cobre. (Êxodo 27.6)
Como se pode ver, em função de sua pureza, ela foi empregada abundantemente na confecção das pecas do tabernáculo. A peça mais importante para os israelitas, a arca da aliança, símbolo da presença de Deus entre eles, era feita de acácia! Representando a santidade do Senhor e Sua pureza, a acácia tipifica a presença de Deus em nós e a nossa integridade em meio às provações do deserto. Ele habita em nós! Você é símbolo da presença de Deus neste mundo. E é importante ressaltar: assim como a acácia, você não apodrecerá neste deserto, mas irá muito além de todas as expectativas, pois foi criado para a eternidade, para chegar incorruptível à nossa Canaã! A murta.
A terceira árvore que Deus plantará no deserto é a murta. Em hebraico, ela é chamada de hadass, e ainda hoje cresce nas montanhas perto de Jerusalém. Eram ramos de murta que os israelitas levavam à Festa dos Tabernáculos. As grinaldas utilizadas pelas noivas no Antigo Testamento também eram feitas deste ramo. Encontramos referências a esta árvore em Isaías 53.13: Em lugar do espinheiro, crescerá a faia, e, em lugar da sarça, crescerá a murta; e em Zacarias, especialmente no capítulo 1, versículo 11: E eles responderam ao anjo do Senhor, que estava entre as murtas, e disseram: Nós já andamos pela terra, e eis que toda terra está tranquila e em descanso. Aqui, vemos a que a murta esta associada à presença divina.
No entanto, esta árvore possui uma característica muito interessante. De sua prensagem, extrai-se um óleo aromático, muito empregado ainda hoje em perfumaria no oriente. Ela também é utilizada como ornamentação, devido à beleza que proporciona ao ambiente em que é colocada. Assim também devemos ser, mesmo em meio às tribulações da vida. Ao sofrermos, ao experimentarmos apertos típicos do deserto, devemos espalhas o bom perfume de Cristo! Na vida cristã, ao passarmos por lutas e adversidades não pode haver mau cheiro. Não pode haver murmuração, reclamação, nem amargura. Quando espremido pelas diversas atrocidades do deserto, o verdadeiro cristão tem de promover admiração nos ímpios, seja pelo bom perfume de Cristo que exala nessas situações, seja pela beleza emanada por ele no ambiente em que vive, graças à sua firme com convicção no Salvador! O deserto não irá fazer com que você exale mau cheiro ou que manche o horizonte com sua má conduta. Não! Neste deserto, você será como a murta! Amém. Deus te abençoe até o próximo final de semana.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...