ANO: 25 | Nº: 6233

José Carlos Teixeira Giorgis

jgiorgis@terra.com.br
Desembargador aposentado e escritor
09/03/2019 José Carlos Teixeira Giorgis (Opinião)

Notas sobre bajeenses ilustres

Segue outra pesquisa feita na internet sobre bajeenses com a finalidade de revelar conterrâneos ilustres, talvez desconhecidos para a maioria, que bem dizem o valor do "jus sanguinis" local na história pátria.
MARTIM MÉRCIO SILVEIRA aqui nasceu em 02 de março de 1911, tendo relevância no futebol brasileiro. Oriundo de família tradicional, irmão de Jerônimo, Mário, Paulo e Tomás, além de outros irmãos, todos de nomeada em política, serviço público e atividades comunitárias, Martim começou sua carreira no Guarany FC (1929), mudando domicílio para o Rio de Janeiro, ingressando no Botafogo, sendo campeão estadual naquele ano (1930) e 1932. Transferiu-se depois para a Argentina, onde ficou conhecido como "Martin", e para o Boca Juniors, constando ser o primeiro brasileiro que ali atuou. Jogou no Boca em 1933 e 1934, vencendo o campeonato platino de 1934. Retornou ao Botafogo, por quem atuou em 1934 e 1935, permanecendo no clube até 1940. De 1944 até 1953 permaneceu no Botafogo em diversas atividades de gestão, inclusive como treinador.Martim integrou a seleção brasileira nas Copas de 1934 e 1938. Faleceu no Rio de Janeiro, em 16 de agosto de 1972.
PANTALEÃO DA SILVA PESSOA, nasceu em Bagé, 1885, sendo conhecido com militar e político de saliência. Foi aluno da Escola Militar de Rio Pardo, mudando para o Rio a fim de concluir seus estudos, e ali conheceu e casou com Corina de Abreu Pessoa (1910). Em 1920 ingressa na Escola de Aperfeiçoamento do Exército tendo como colegas Mascarenhas de Moraes e Estilac Leal. Entre junho e novembro de 1931 foi secretário e depois Interventor do Rio de Janeiro, em vista da Revolução e 1930, onde substituiu o general João de Deus Mena Barreto que se demitira, ficando no cargo até 11 de dezembro daquele ano, sendo afastando em vista do movimento tenentista. Em 1932 é designado para Chefe do Estado Maior do Governo Provisório (hoje correspondente à secretaria geral do Conselho Superior de Segurança Nacional), que ocupa até junho de 1935, quando em julho é designado para a chefia do Estado Maior do Exército, deixando o posto e sendo reformado em 1937, passando para a oposição ao Governo, o que faz através de carta a Eurico Gaspar Dutra, então Ministro da Guerra. Era Grande Oficial da Ordem Militar de Avis, Portugal (1935). Faleceu em 1980.
JANUÁRIO LUCAS GAFFRÉE, nasceu em Bagé em 19 de setembro de 1878, sendo considerado um dos grandes filósofos do Direito de sua época. Fez estudos primários em Bagé e complementares em Porto Alegre. Bacharelou-se em Letras em São Leopoldo; e em Direito na Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais do Rio de Janeiro, aonde advogou largo tempo. Posteriormente muda-se para Porto Alegre, e vem a lecionar da tradicional Faculdade de Direito, assumindo a cátedra de Filosofia do Direito. É tido como um dos primeiros pensadores brasileiros a escrever sobre o uso da filosofia de Kant no Direito. Teve participação no castilhismo através do corpo editorial do jornal A Federação. É autor da "A teoria do conhecimento de Kant", editada pela Typographia do Jornal do Commércio, Rio de Janeiro, 1909; depois reeditada na Coleção Pensadores Gaúchos, coordenada pelo professor Luís Alberto De Boni. Edipucrs, Porto Alegre, 2000. O livro foi dedicado "A meu padrinho Cândido Gaffrée". Na segunda edição há um prefácio erudito do filósofo Valério Rhoden. Januário faleceu no Rio de Janeiro, em 04 de dezembro de 1917.
JACI FERREIRA HARGREAVES, bajeense nascido em 20 de 0utubro de 1931, filho de Sebastião Hargreaves e de Maria Conceição Ferreira, mineiros, é considerado o arquiteto que projetou mais de 160 prédios residenciais e comerciais em São Paulo, com especial destaque para o Edifício São Luiz de Gonzaga, na Avenida Paulista. Cedo sua família mudou-se para o Rio de Janeiro. Inclinou-se, desde logo, pela arquitetura, encantado com o desenho, sua organização e objetivo. Assim, lateralmente ao 2º grau, fez o curso médio de desenhista e projetista no Instituto Oberg. Destacando-se, é contratado como professor. Ingressa na Faculdade Nacional de Arquitetura da Universidade do Brasil (1951), e acadêmico ainda, é aceito pela construtora Abade e Vinci, de notória presença nas áreas de engenharia e arquitetura. Diplomado em 1953, Hargreaves, ingressa na empresa Graça, Couto Comércio e Indústria, no então Distrito Federal, onde permanece por 10 anos, projetando a Usina Termoelétrica de Manaus e constrói, pela empresa, a Embaixada dos Estados Unidos (hoje o Consulado na Av. Presidente Wilson), obra projetada pela americana Harrison e Abramovitz. Interessado em artes, Hargreaves faz um Curso Livre de Cenário e Direção com o diretor italiano Gianni Rato e convidado para projetar o "Teatro dos Quatro", em Brasília, que abrigaria a Companhia de Gianni, Fernanda Montenegro, Fernando Torres e Paulo Autran. Depois, Jaci se associa a Edison Musa, também arquiteto gaúcho domiciliado no Rio, autor de inúmeros projetos de relevo e edificados por Gomes de Almeida, Fernandes, nascendo daí a Edison Musa Arquitetos Associados, instalada em São Paulo sob a chefia de Hargreaves (1970), de cuja prancheta afloram prédios imponentes como os do Vale Anhangabaú, Banco Mercantil Finasa, Winston Churchill, Monumento, além do citado São Luiz de Gonzaga. Desfeita a sociedade, Jaci se dedica a outros projetos, como um estudo para a Igreja do Colégio São Luiz, na Avenida Paulista, para a inclusão de piso, abaixo do coro, como abrigo de um órgão adquirido pela irmandade religiosa, solução elogiada como criativa O escritor Antonio Carlos Diniz, no livro "Arquitetura Moderna em Juiz de Fora", chama o conterrâneo biografado como "Mestre dos Mestres". Faleceu em São Paulo, em 1º de abril de 2008.
LUIZ FERRÉ, nasceu em Bagé, sendo importante artista gráfico brasileiro.Estuda no Colégio Estadual Dr. Carlos Antonio Kluwe. Em 1982, Ferré e seu Grupo Cem Modos, recebe o Prêmio Tibicuera, na categoria especial, pelos melhores acessórios cênicos; em 1984, juntamente com Roberto Dornelles, cria e manipula os bonecos Muquirana e Edgar Canta, do programa Clip-Clip, da Rede Globo; ainda com Dornelles e Boninho (José Bonifácio Brasil de Oliveira), Luiz Ferré desenvolve em 1993, com os cartunistas Laerte, Angeli e Glauco, o programa infanto-juvenil TV Colosso, manipulando bonecos com forma de cães. Também participa de outros trabalhos como o Sítio do Pica-Pau, sendo criador do personagem Zezinho no portal da Rede Globo. Trabalhou, ainda, como publicitário das produtoras Cine, Digital 21 e a Produtora Associados. Em 2008 integra com exclusividade o elenco de diretores da Bossa Nova Filmes. Mora em São Paulo.
URANO TEIXEIRA DA MATA BACELLAR, aqui nasceu em 20 de agosto de 1947. Fez brilhante carreira militar como paraquedista, tendo ainda sido comandante da Academia das Agulhas Negras (1990) e subchefe do Estado-Maior do Exército. General do Divisão, com especialidade em guerra na selva, Urano foi indicado para comandar a Missão Militar das Nações Unidas no Haiti, onde o Brasil mantém efetivo desde 2004, quando substituiu o general Augusto Heleno Ribeiro Pereira. Em 2004 o então presidente Jean- Bertrand Aristide fugira em meio de uma revolta e pressões dos Estados Unidos e França para que renunciasse, entrando o país em convulsão. As autoridades do Haiti culparam a missão da ONU e da OEA pelos diversos atrasos na realização de eleições, o que ditos órgãos rejeitavam. Em 7 de janeiro de 2006, o general Urano foi achado morto no quarto de hotel em Porto Príncipe, com um ferimento de arma de fogo na cabeça. O episódio foi considerado como suicídio. O general vestia shorts e uma camiseta branca; e a arma perto do corpo. Todavia, o jornal britânico Guardian publica, em 21 de janeiro de 2011, que cabos liberados através do Wikileads, com vazamentos de telegramas diplomáticos dos Estados Unidos, revelavam que o presidente da República Dominicana Leonel Fenandez suspeitava que o general Bacellar tivesse sido assassinado por um grupo armado pelo governo americano e liderado por Guy Philippe, ex-militar e chefe de polícia do movimento que apeara Jean Bertrand Aristide. O assassinato teria sido uma resposta à resistência do general Urano em usar força nas favelas haitianas em Cidade Soleil, contrariando pressão americana e a campanha feita por Reginald Boulos, presidente da Câmara de Comércio do Haiti, e André Apaid, dono de várias empresas de exploração de trabalhadores e que haviam desempenhado importante papel na deposição de Aristide. Para seus colegas, Urano era o oposto de um suicida, pois pessoa extremamente ponderada, calma, com grande conhecimentotécnicode temas castrenses e preocupação cultural. Quando fora escolhido para substituir o general Augusto Heleno para comandar as tropas do Haiti, Urano passara por sabatina da ONU sendo aprovado com louvor. O bajeense seria o segundo brasileiro morto fora do país em atividades das Nações Unidas nos últimos anos, seguindo à morte do diplomata Sérgio Vieira Mello, que falecera em 19 de agosto de 2003, quando um caminhão-bomba demolira hotel que sediava a missão da ONU, no Iraque.Em nota, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva manifestou profundo pesar pela morte de Bacellar, orientando o Ministro de Relações Exteriores Celso Amorim a expressar à ONU a expectativa do governo brasileiro que fosse conduzida uma ampla e imediata investigação sobre a morte do bajeense reiterando a determinação do governo em continuar apoiando o povo haitiano na construção da paz e normalização política, sendo destacado uma avião da FAB para trazer o corpo para o território brasileiro."É devastador ver um general tão bom e honrado morto em circunstâncias assim", disse o Paulo Cordeiro de Andrade Pinto, embaixador brasileiro no Haiti, ao deixar o hotel em que fora encontrado o cadáver do general Urano Bacellar.

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...