ANO: 24 | Nº: 6184

Rochele Barbosa

rochelebarbosa@gmail.com
Jornalista formada pela Universidade da Região da Campanha. Responsável pela produção e reportagem do caderno de Saúde do Jornal MINUANO
11/03/2019 Caderno Minuano Saúde

Capa - Reabilitação Oral

Foto: Divulgação

A cavidade oral é composta por dentes, gengiva e osso. Os problemas bucais atingem essas estruturas, não somente os dentes, afetando milhares de pessoas, entre crianças, jovens e adultos de várias idades. Gengivite, periodontite, apinhamentos dentários e perdas dentárias são apenas algumas das ocorrências mais comuns que levam várias pessoas aos consultórios todos os dias. A reabilitação oral visa sanar esses problemas como um todo e também manter a saúde com o passar do tempo.
Quando surge algum desequilíbrio na saúde bucal é necessário procurar imediatamente um dentista para fazer reabilitação oral. Mas antes de iniciar um tratamento de reabilitação oral é preciso fazer uma análise detalhada da situação geral do paciente e leva em consideração o que o paciente espera do tratamento.
O planejamento não visa apenas o lado estético. O tratamento deve seguir uma sequência lógica para alcançar o melhor resultado possível, com menor custo e menor tempo. Sempre se inicia a reabilitação pelo tratamento periodontal, remoção de restos radiculares, remoção de lesões cariosas. Tratamento ortodôntico, próteses, implantes, facetas e clareamento somente são realizados sobre gengiva e periodonto saudáveis.
Nesta edição a odontóloga Clarice Pase irá explicar o que é a reabilitação oral, como proceder para que sempre tenha um sorriso saudável. 

Página 2 e 3 – Objetivos da reabilitação oral

Objetivos da reabilitação oral
- Devolver a função mastigatória (próteses, implantes)
- Devolver a estética (ortodontia, facetas, restaurações)
- Devolver e manter a saúde bucal (tratamento periodontal periódico)
- Melhorar a qualidade de vida do paciente, e prevenir problemas futuros.
Segundo Clarice o tratamento de reabilitação pode ser realizado por um clínico geral experiente ou por uma equipe multidisciplinar ou ambos. "O dentista clínico geral faz o planejamento do tratamento e encaminha para os especialistas necessários como ortodontistas, endodontistas, periodontista, implantodontista entre outros", explica.


Problemas bucais mais comuns

Gengivite e periodontite
A gengivite é uma inflamação do tecido gengival que se não tratada evolui para periodontite (destruição do osso alveolar). Os sintomas mais comuns são sangramento durante a escovação e gengivas doloridas. A especialista destaca que a reabilitação deve ser feita no consultório com a realização de limpeza e raspagem do tártaro acumulado (ultrasson e jato de bicarbonato), que diminuirá o processo inflamatório. "O tártaro é causado pelo acúmulo de placa bacteriana, que se torna sólida em torno do dente", acrescenta Clarice.

Clarice ainda destaca outros exemplos como: 

Cáries
As cáries aparecem quando a higienização bucal é feita incorretamente, deixando placa bacteriana acumulada na superfície dos dentes. Quando não tratada no início pode lesar a polpa coronária levando a necrose do dente (canal). Incidência maior entre crianças e adolescentes. A reabilitação deve ser feita pelo dentista clínico geral ou por um endodontista (canal).


Apinhamento
Dentes desalinhados, que pode provocar problemas na fala, mastigação e comprometimento estético. A reabilitação deve ser feita pelo ortodontista, com a utilização de aparelho ortodôntico indicado para cada caso.


Falta de dentes (perdidos ou agenesias)
Nestes casos, a reabilitação devolve a função e a estética. O planejamento da reabilitação deve levar em conta vários fatores: quantidade de dentes que faltam, osso remanescente, fator econômico do paciente, entre outros. Os pacientes que perderam vários dentes são os candidatos para uma reabilitação oral completa. Para repor dentes perdidos existem várias técnicas.

Implantes


Vantagens
- O pino substitui a raiz do dente perdido e depois é colocado a coroa (parte visível do dente)
- Não utiliza os dentes vizinhos para suporte.


Desvantagens
- Além do alto custo, tem fatores em que são contraindicados o uso de implantes, como falta de osso remanescente para a instalação do pino.

- Condições gerais e locais do paciente também influenciam. Nesses casos, existem outras opções de prótese


Prótese fixa
Os dentes vizinhos são usados como pilares para pônticos nos espaços dos dentes faltantes. As desvantagens desse tipo de prótese também é o custo e tem que fazer desgastes dos dentes pilares para colocar coroas.


Prótese fixa adesiva
Vantagem desse tipo de prótese é o menor custo e menor desgaste dos dentes pilares e a desvantagem que não fica retentiva o suficiente e pode descolar.


Prótese parcial removível convencional
Custo menor, a desvantagem que tem que remover para a limpeza e estética, pode aparecer grampos metálicos nos dentes suportes quando estão na região anterior.


Prótese Parcial Removível com attachment (encaixe)

Próteses removíveis com encaixes nos dentes pilares, melhora a estética.
Dentes com desmineralização do esmalte dental, com desgastes excessivos e hipersensibilidade: nesses casos coroas e facetas de porcelana podem ser usadas. Problemas estéticos como forma e cor dos dentes, espaços, podem ser resolvidos com clareamento, facetas e lentes de contato dentárias em cerâmica.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...