ANO: 25 | Nº: 6358
16/03/2019 Campo e Negócios

Preço da melancia despenca apesar da redução do volume colhido em Bagé

Os preços da melancia recuaram em todo o País na semana passada. A pressão veio da boa oferta nacional, aliada à baixa demanda em São Paulo, um dos principais polos consumidores. Apesar da redução do volume colhido em Bagé, nos últimos dias, em Teixeira de Freitas, na Bahia, a quantidade ainda é elevada, enquanto que, nas praças paulistas de Marília/Oscar Bressane e Itápolis, vem ocorrendo aumento gradual dos trabalhos nos últimos dias.
Além disso, colaboradores do Hortifruti/Cepea, também informam que algumas melancias começaram a ser colhidas em Uruana, em Goiás. Apesar de a colheita, nesta última praça, ainda ser restrita a algumas roças e ao comércio local, o cenário também influenciou em menores cotações ao redor do Brasil. Assim, os preços médios da melancia graúda (> 12 kg) foram de R$ 0,42/kg na Bahia, R$ 0,43 em São Paulo e R$ 0,45/kg no Rio Grande do Sul, quedas de, respetivamente, 15,8%, 30,9% e 18,2% em comparação com a semana passada.
Daqui para frente, as expectativas de agentes são de, pelo menos, sustentação das cotações. Enquanto que os trabalhos em Bagé chegam próximos do fim, em Teixeira de Freitas a oferta se reduzirá gradativamente. Segundo agentes, a colheita na praça baiana deve ser finalizada nas primeiras semanas de abril, período em que é esperado o pico da safra nas roças paulistas. Assim, a oferta deve seguir mais controlada.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...