ANO: 25 | Nº: 6432
27/03/2019 Segurança

Operação Desmanche chega à 80ª edição e soma 128 locais interditados

Foto: Felipe Valduga

Em Aceguá,ação ocorreu em janeiro deste ano
Em Aceguá,ação ocorreu em janeiro deste ano

Três anos de atuação, 43 municípios visitados, 128 estabelecimentos interditados, mais de 70 prisões e de 6 mil toneladas de sucata automotiva recolhidas. Esse é o balanço da Operação Desmanche, que chegou, na semana passada, à 80ª edição. Novamente, a união das forças de segurança do Estado foi às ruas para coibir crimes de roubo e furto de veículos, além de retirar de circulação peças irregulares.

A marca foi alcançada com uma ação desencadeada no início da manhã em Passo Fundo, onde a força-tarefa dos desmanches recolheu mais de 100 toneladas de sucata automotiva. Foram vistoriados quatro locais, sendo dois credenciados pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Os dois que não tinham registro acabaram interditados. Não houveram prisões.

Vistorias em municípios ainda não visitados são consideradas pela coordenadora da força-tarefa dos desmanches, capitã Marta França Moreira, como essenciais para coibir o crime de furto e roubo de veículos. Segundo a coordenadora, as organizações criminosas tentam se restabelecer em outros pontos do Estado, conforme a ofensiva avança, o que exige estudo aprofundado das atividades em cada região para elaborar as estratégias da operação.

Para a ação de Passo Fundo, a força-tarefa investigou denúncias sobre irregularidades em estabelecimentos do município por meio da análise de dados de inteligência levantados sobre os locais.

A Polícia Civil deflagrou em janeiro, em Aceguá, a Operação Los Hermanos, que combateu uma organização criminosa responsável pela recepção e desmanche ilegal de veículos na fronteira entre Brasil e Uruguai. A ação foi responsável pela apreensão de dezenas de veículos e milhares de peças sucateadas, além da prisão, em flagrante, de cinco pessoas.

A operação foi coordenada pelo titular da Delegacia de Polícia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), Cristiano Ritta. O delegado salienta que a organização é uma das principais a atuarem nesse tipo de delito no Estado, movimentando um comércio milionário e que causa grandes prejuízos à economia gaúcha. A delegacia estima que, desde o início da investigação, em setembro de 2017, mais de 500 carros foram negociados.

As cidades que já receberam a operação foram as seguintes: Aceguá, Almirante Tamandaré do Sul, Alvorada, Arroio dos Ratos, Cachoeirinha, Camaquã, Candelária, Canela, Canoas, Carlos Barbosa, Capão da Canoa, Caxias do Sul, Curumim, Eldorado do Sul, Erechim, Estância Velha, Esteio, Estrela, Gravataí, Guaíba, Montenegro, Nova Prata, Nova Bassano, Novo Hamburgo, Pantano Grande, Parobé, Passa Sete, Passo Fundo, Pelotas, Portão, Porto Alegre, Rio Pardo, Santa Maria, São Leopoldo, São Sebastião do Caí, Sapiranga, Sapucaia do Sul, Sarandi, Soledade, Tapejara, Torres, Vera Cruz e Viamão.

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...