ANO: 25 | Nº: 6354
28/03/2019 Fogo cruzado

Sindicatos questionam incorporação da Eletrosul pela CGTEE

Representações de oito sindicatos de eletricitários protocolaram, na segunda-feira, uma representação, no Ministério Público Federal de Santa Catarina, pleiteando a abertura de inquérito para impedir a incorporação da Eletrosul pela Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (CGTEE). A informação foi confirmada pelo portal de notícias NSC Total.
Questionando a legalidade do projeto de incorporação, os sindicalistas argumentam que haverá danos ao patrimônio público, sustentando que terão perdas com a transferência da sede da empresa para Candiota. Os sindicatos estimam que Santa Catarina deve perder, para o Rio Grande do Sul, R$ 60 milhões com o Fundo de Participação dos Estados (FPE) por ano.
A incorporação foi aprovada pelo conselho da Eletrobras. Em entrevista ao portal NSC Total, o advogado Anselmo Machado, do escritório Livramento Machado Advocacia, que representa os eletricitários catarinenses, observou que ‘a Receita Federal não admite esse tipo de operação, de uma empresa menor incorporar a maior só para aproveitar crédito tributário’.
A reportagem destaca, ainda, que a ‘Eletrosul tem 1,2 mil empregados, dos quais mais de 800 atuam em Santa Catarina e a maioria em Florianópolis’, observando que, ‘no ano passado, teve lucro líquido de R$ 207 milhões’. A CGTEE, ainda conforme pontua a reportagem, ‘tem 350 empregados e encerrou o ano passado com prejuízo de R$ 562,9 milhões’. Além disso, complementa o portal, ‘o patrimônio líquido da CGTEE é negativo, em R$ 4,08 bilhões, enquanto o da Eletrosul é positivo, em R$ 6,1 bilhões’.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...