ANO: 26 | Nº: 6544
30/03/2019 Fogo cruzado

Deputado catarinense questiona incorporação da Eletrosul pela CGTEE

Foto: Divulgação

Guidi apresentou indicação ao ministro de Minas e Energia
Guidi apresentou indicação ao ministro de Minas e Energia
O deputado federal Ricardo Guidi, do PSD de Santa Catarina, apresentou indicação, ao ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, para que adote ‘providências visando a preservação da Eletrosul, a fim de não incorporá-la à Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (CGTEE)’, empresa que tem sede em Candiota.
Guidi observa que a Eletrobras, holding controladora da  Eletrosul, anunciou o início da reestruturação societária entre as subsidiárias Eletrosul Centrais Elétricas S.A e a CGTEE, salientando, porém, que ‘tal reestruturação é discutida desde o ano de 2013, sempre no sentido de a Eletrosul incorporar a CGTEE’, movimento que qualifica como ‘lógico’, dada as  dimensões das empresas.
O parlamentar questiona o movimento inverso, confirmado pela Eletrobras, com a CGTEE incorporando a Eletrosul. “Nesse cenário nada transparente e de muita confusão, não há possibilidade de uma concretização dessa negociação sem haver um debate para discutir pontos cruciais, tais como local da sede, se os empregados serão forçados a se transferir de cidade, se haverá demissões”, pontua, ao questionar quanto o governo do Estado e as prefeituras catarinenses deixarão de receber em tributos.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...