ANO: 25 | Nº: 6381
02/04/2019 Editorial

Para gerar novos negócios

A agenda programada para hoje, junto à Estância Santa Maria, em Bagé, pode resultar em uma real expansão das exportações gaúchas e, por consequência, locais, junto ao mercado externo. E tudo tem uma explicação bem direta: expondo não apenas os produtos, mas o berço de suas elaborações, com base em um modelo de destaque, como é o caso da propriedade escolhida, há a indicação de um plausível implemento nas exportações.
A Santa Maria, como retrata publicação desta edição, antecipando, de certo modo, parte da agenda, aponta para uma propriedade que gera muito e em várias frentes. Vai desde a pecuária ampla, com raça considerada nobre pelo mercado, seja produtivo ou consumidor, até a matéria-prima para a celulose, um setor que gera investimentos significativos a cada novo período.
Não obstante, a lista de representações presentes também aquece as possibilidades. Tendo a China com destaque, por já ser tratado como o maior consumidor mundial, em vastos segmentos, até outros potenciais parceiros para novos negócios, como Austrália, Burkina Faso, Chile, Egito, França, Irã, Japão e Singapura. Aliás, tudo caminha em direção às perspectivas aventadas. Não apenas pela disponibilidade dos integrantes desta denominada Missão Internacional, mas por todo o complexo junto a qual ela foi traçada.
Ao mesmo tempo em que verificam in loco a produção, já avaliam mecanismos fundamentais para garantir viabilidade técnica caso contratos sejam assinados. A visita ao Porto de Rio Grande deixa isso mais claro ainda.
De fato, a agenda de hoje promete estimular as possibilidades ou, no mínimo, atrair a atenção do setor primário e, claro, do mercado internacional. Este molde de agenda serve, em muitos momentos, também para demonstrar a existência de boas relações entre os países envolvidos. E isso, normalmente, causa reflexos, mesmo que posteriores. Para o momento, contudo, fica a torcida de quem atua no campo. Até porque, quanto mais houver procura, seguida de bons preços - claro, incentiva e amplia a produção e, desse modo, fortalece a economia – em especial a local.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...