ANO: 25 | Nº: 6405

Divaldo Lara

divaldolara@gmail.com
08/04/2019 Divaldo Lara (Opinião)

Chegou a vez da conquista para os servidores

Como todas as ações em nosso governo, o reajuste do vale alimentação para os servidores da prefeitura foi possível com a cooperação de todas as secretarias, que entenderam essa necessidade, segurando ao máximo suas despesas nos últimos meses, para que se pudesse chegar a um índice possível e satisfatório.
Apresentamos. na quarta-feira, o resultado dessa união e outras ações de economia, entregando um aumento de 50% no vale-alimentação, que beneficiará 2800 trabalhadores e que reajusta o valor de R$ 12,10 para R$ 18,15.
O impacto mensal na prefeitura com esse reajuste será de 350 mil reais extras por mês, passando de 700 mil para 1 milhão e 50 mil reais.
Com o trabalho que mencionei de economia nas secretarias, nos meses de janeiro e fevereiro deste ano, economizamos 1 milhão e 400 mil reais comparados ao mesmo período no ano passado.
A economia gerada, ao longo do tempo, com a redução no número de secretarias, que passou de 19 para 12 foi também determinante. Reduzir uma secretaria significa diminuir com ela, toda sua estrutura de cargos, veículos e até aluguéis, pois aglutinamos o trabalho de algumas pastas em uma só. E que hoje, funcionam melhor do que antes. É o caso, por exemplo, das antigas Secretaria do Idoso e de Habitação, que hoje fazem parte da Smasi, junto à assistência social.
Vale lembrar, também que, desde que assumimos, Primeira Dama não tem cargo no governo, nem estrutura para si, como sempre houve nas administrações anteriores. Quando realiza trabalhos para o município, é de forma voluntária, como no caso da Campanha do Agasalho.
Outro fator que gerou economia significativa: cargos em comissão, os chamados CCs, passaram a não receber o vale alimentação desde o início do nosso governo. A definição resultou em 2 milhões e 100 mil reais de economia nestes 27 meses.
O resultado de um bom planejamento das finanças, é que conseguimos chegar a todas essas economias sem interromper obras ou reduzir serviços. Pelo contrário, ao longo do nosso governo temos apresentado conquistas significativas para Bagé.
Muitos pensam que uma das formas de economizar seria dispensar ou reduzir cargos em comissão, onde na verdade, além do belo trabalho que realizam pela recuperação da nossa cidade, representam menos de 5% das despesas da prefeitura. O impacto é baixo.
O recurso economizado será utilizado em dois aspectos: no pagamento das dívidas milionárias que herdamos - e que temos honrado; e para o benefício do vale-alimentação que anunciamos. Para se ter uma ideia, em apenas de uma das dívidas, iniciamos o governo pagando R$ 350 mil mensais de precatórios. Agora, por determinação judicial e devido à falta de cumprimento no pagamento das parcelas no governo passado, os bajeenses estão tendo que desembolsar R$ 711 mil todo o mês para pagamento de apenas essa dívida. Sem falar nas demais.
Para chegar a essa conquista, do aumento do vale, precisávamos deste tempo, para realizá-la de forma responsável, não assumindo um compromisso que não pudéssemos assumir. Dessa mesma forma, será feita com o reescalonamento, que iniciamos um estudo para apresentar aos servidores até o final do ano.  
Agradeço a todos que, mesmo em tempos difíceis, acreditam no poder de realização do nosso governo e que, conforme o passar do tempo, vamos retribuindo a confiança com resultados.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...