ANO: 25 | Nº: 6282
10/04/2019 Fogo cruzado

Marco Soligo assume presidência da CEEE

Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

Soligo (ao centro) trabalhou por 15 anos em diretorias de empresas do setor de energia
Soligo (ao centro) trabalhou por 15 anos em diretorias de empresas do setor de energia
O economista Marco da Camino Ancona Lopez Soligo é o novo diretor-presidente da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE). O nome foi anunciado na segunda-feira, 8, pelo governador Eduardo Leite, do PSDB. “Apostamos na experiência dele, tanto no setor público quanto privado, e em seu perfil técnico, de quem conhece o setor elétrico e tem experiência em gestão, para comandar a estatal”, afirmou o tucano.
Paulistano, 51 anos, Soligo é formado em Economia pela Universidade de São Paulo (USP), tem MBA em Administração e Gestão, com concentração em Marketing, pela Universidade Católica da Lovaina, na Bélgica, e especialização em Direito Societário pela FGV-SP. Sua carreira profissional começou em bancos de investimento nacionais e internacionais, como Banco Safra, Unibanco, Bear Stearns, Banco de Boston e BB Europe, somando nove anos de experiência desde analista até supervisor.
Soligo trabalhou durante 15 anos em diretorias corporativas, financeira e de governança de empresas do setor de energia, entre as quais a CPFL Energia e a RGE. Nos últimos 10 anos, atuou em grupos empresariais, como o Grupo Gomes Lourenço, focado na construção de pequenas centrais hidrelétricas (PCHs), e consultorias para empresas privadas e públicas nas áreas de gestão, também com foco no setor elétrico.
Entre 2007 e 2009, ele atuou no Estado como diretor da RGE, quando a empresa passava por uma transição acionária, e, em 2004, acompanhou de perto a oferta inicial de ações da CPFL. Tem 10 anos de experiência em crédito, pesquisa de patrimônio e modelagem financeira em bancos de investimento nacionais e internacionais. “Estou muito feliz de voltar ao Rio Grande do Sul. Tenho muita admiração pelo estado e acredito no potencial que ele tem. Por isso, me doarei ao máximo para ajudar a passar por essa crise”, disse.
O novo diretor-presidente da estatal destaca que seu desafio será aprimorar os processos financeiros e operacionais da CEEE, cujo braço de distribuição, a CEEE-D, registrou um prejuízo de quase R$ 1 bilhão no ano passado. “A empresa amarga grandes prejuízos nos últimos anos e isso penaliza diretamente a sociedade. Meu objetivo é identificar onde podemos aprimorar a gestão para reduzir custos e aumentar a eficiência, o serviço prestado à população”, afirmou.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...