ANO: 25 | Nº: 6335

Cássio Lopes

cassio_241@hotmail.com
11/04/2019 Cássio Lopes (Opinião)

Attila Siqueira (parte 1)

Attila Jesus Sá Siqueira nasceu em Bagé, em 1922. Filho de Célia Sá Siqueira e do engenheiro-civil Antônio Siqueira, que, por longos anos, prestou inestimáveis serviços à Prefeitura de Bagé. Ele e seus irmãos foram criados e estudaram em Porto Alegre, mantendo, sempre, contato com a terra natal.
Attila formou-se em 1946, na Escola de Agronomia e Veterinária de Porto Alegre, transformada depois em Universidade Federal do Rio Grande do Sul, ingressando no ano seguinte na Secretaria da Agricultura do Estado, no Serviço de Ovinotecnia.
Depois de rápido estágio na capital, veio para Bagé, para trabalhar na Associação Riograndense de Criadores de Ovinos (Arco) em convênio que durou seis anos e meio, atendendo o setor de seleção de ovinos.
A seguir, seus serviços foram requisitados por Floriano Bittemcourt, proprietário da Cabanha A Tala, onde, por dezesseis anos, desempenhou as funções de diretor-técnico, além de ter sido responsável pela organização total do estabelecimento localizado em Dom Pedrito e que se dedicava à criação de gado Hereford e ovinos Romney-Marsh e Corriedale.
Deixando a iniciativa privada, foi convidado a ingressar no Conselho de Desenvolvimento da Pecuária de Corte (Condepe), um órgão de projetos agropecuários criado em 1968, pelo governo federal, financiado pelo Banco Internacional de Desenvolvimento (Bird). Com a extinção do órgão, em 1976, os técnicos, em sua maioria, foram designados para a Associação Sulina de Crédito e Assistência Rural (Ascar), depois Emater.
Além destas atividades, foi pecuarista, tendo arrendado um campo com um amigo. Foi, ainda, cabanheiro, por seis anos, de Pardo Santayana.
Profissional de renome, Attila Sá Siqueira era constantemente convidado para servir de jurado em exposições, não só no Estado, como, também, no exterior.
Ele foi jurado em Bagé, Esteio e em Montevidéu, entre outras. Era especializado nas raças Polled-Hereford, Romney-Marsh e Corriedale.
Muitas foram as entidades e instituições que contaram com os serviços do competente e conceituado técnico, como a Associação de Engenheiros-Agrônomos de Bagé, da qual foi presidente, Associação Rural de Bagé, Associação Brasileira de Criadores de Ovinos, (Arco) e Associação Brasileira de Criadores de Hereford e Polled-Hereford. Foi professor da Faculdade de Agronomia e Veterinária, da Universidade da Região da Campanha (Urcamp).
Intensas também foram suas atividades culturais, como membro do Cultura Sul, conselheiro da Diretoria de Cultura, da Secretaria Municipal de Educação e Cultura e do Núcleo de Pesquisas Histórias Tarcísio Taborda.
A preservação do meio ambiente foi sempre uma grande preocupação de Attila Siqueira, em especial a poluição de Candiota. Ele foi um dos primeiros a se manifestar contra o que chamava de "degradação ambiental" naquela localidade.

Fonte:
Lopes, Mário. “Personalidades de um século em Bagé”. Bagé, NPHTT, 2012, 248p.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...