ANO: 25 | Nº: 6278
12/04/2019 Campo e Negócios

Marfrig e sindicatos não chegam a acordo

A segunda reunião de negociação entre representantes dos sindicatos de trabalhadores nas indústrias de alimentação de Bagé e São Gabriel, o coordenador da Sala de Apoio da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Alimentação e Afins (CNTA) – Sul, Darci Rocha, e representantes do Marfrig Group não resultou em acordo. O encontro ocorreu no Sindicato de São Gabriel. Embora as partes não tenham alcançado consenso, houve alguns avanços. Uma nova reunião está marcada para o dia 23 de abril, em Bagé, na sede social do Stia.
Os sindicatos pedem a reposição da inflação do período (entre fevereiro de 2018 a janeiro de 2019) com aumento real, mais um Piso Salarial no valor de R$ 1,5 mil, além da manutenção das demais cláusulas do acordo anterior. Tanto o Marfrig quanto os sindicatos entregaram propostas para avaliação.
O presidente do Stia/Bagé, Luiz Carlos Cabral, destacou, em nota, que a situação para a indústria da carne apresenta evolução. Com isso, diz ele, é possível buscar uma melhora na condição salarial do trabalhador. "A produção está cada vez maior, os trabalhadores estão a pleno nas fábricas. Agora, é o momento de valorização, já que estão há 14 meses sem reajuste (a data-base da categoria é 1º de fevereiro)", ressalta Cabral.
O Brasil registrou o segundo maior volume de carne exportada na história do país, neste primeiro trimestre de 2019. A venda do produto fez circular mais de R$ 4 bilhões na economia nacional, valor recorde devido ao aumento de preço do boi gordo, com maior índice de valorização.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...