ANO: 25 | Nº: 6362

Norberto Dutra

redacaominuano@gmail.com
Pastor e presidente da Igreja Assembleia de Deus de Bagé Doutor em Divindade
13/04/2019 Norberto Dutra (Opinião)

O olmeiro

Também conhecido como olmo, esta árvore é muito utilizada na carpintaria, e tem como maior característica sua forte resistência e flexibilidade. Suporta grandes impactos, porém, mantém-se flexível. Os mais fortes ventos que abatem um olmeiro têm apenas o mesmo efeito que vemos quando atingem uma palmeira, ou um bambuzal, tão comuns entre nós. O olmo se dobra, enverga, mas não quebra. Será que podemos afirmar que também somos assim? Existem pessoas que demonstram imensa resistência; são fortes e seguras. Mas também são inflexíveis. Não cedem em nada, não moderam e são rígidas demais. Contudo, quando os vendavais das adversidades as abatem, não resistem e quebram, tombando ao chão como gigantes vencidos. Porem, outros são mais maleáveis. Possuem plena consciência de que servem àquele que é manso e suave, e a quem todas as tempestades da vida obedecem. Esses são gigantes da fé, também fortes e seguros. No entanto, eles são flexíveis, e, quando as lutas e dificuldades vêm sobre eles, curvam-se diante de Deus, humildes, até que elas passem. E são muitas as tribulações. São muitos os golpes sofridos: golpes de vida, desferidos pelos ímpios, pelos irmãos, pelos da nossa própria casa. Mas, assim como o olmeiro, tornamo-nos cada vez mais fortes, pois até podemos dobrar-nos diante das tempestades, mas não nos deixamos vencer. Antes, vencemos o mal com o bem! Somos os olmeiros de Deus neste vasto deserto da vida! Amém.
Deus abençoe todos e até o próximo final de semana!

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...