ANO: 26 | Nº: 6588
17/04/2019 Fogo cruzado

Assembleia rejeita recurso sobre tramitação da PEC do Plebiscito

Foto: Divulgação

Abaixo-assinado com mais de 80 mil assinaturas contrárias à proposta foi entregue ao parlamento
Abaixo-assinado com mais de 80 mil assinaturas contrárias à proposta foi entregue ao parlamento
A Assembleia Legislativa rejeitou, ontem, requerimento de autoria da deputada Juliana Brizola, do PDT, para que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que retira a exigência de plebiscito para a privatização da CEEE, da CRM e da Sulgás fosse analisada pela Comissão de Saúde e Meio Ambiente antes de seguir para plenário.
O requerimento foi subscrito pelos deputados Luiz Fernando Mainardi, Pepe Vargas, Edegar Pretto, Valdeci Oliveira, Zé Nunes, Eduardo Loureiro, Fernando Marroni, Rodrigo Maroni e Sofia Cavedon, do PT, e por Luciana Genro, do PSOL. Juliana argumentou, antes da votação, que atividades da CRM e da CEEE geram impactos ambientais, o que justificaria a avaliação, por parte do colegiado.
A PEC apresentada pelo governo, agora, pode ser votada, em plenário, no dia 23. A mobilização contrária, entretanto, deve ser mantida. Ontem, por exemplo, representantes da associação de funcionários públicos entregaram, ao parlamento gaúcho, um projeto de iniciativa popular, com mais de 80 mil assinaturas contrárias à PEC, e favoráveis à manutenção do plebiscito.
O prefeito de Candiota, Adriano Castro dos Santos, do PT, que acompanhou o ato de entrega na Assembleia, classificou a mobilização como histórica. Candiota abriga a principal mina de carvão da CRM. A mineração, para a cidade, representa uma fonte de empregos e receita, através da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM).

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...