ANO: 25 | Nº: 6406
17/04/2019 Cidade

Urcamp e Festival de Cinema: unindo teoria e prática

Foto: Reprodução JM

Estudantes em diferentes fases de aprendizado colocam aprendizado em prática
Estudantes em diferentes fases de aprendizado colocam aprendizado em prática
Desde 2014, a Urcamp mantém parceria com o Festival Internacional de Cinema da Fronteira, desenvolvendo o projeto do Cinejornal, resumo audiovisual diário das atividades do evento, que é elaborado e executado pelos alunos do curso de Jornalismo. Além destes acadêmicos, agora a instituição quer contemplar outros cursos com as possibilidades que o cinema pode agregar em sala de aula. Para isso, está promovendo uma oficina de formação voltada, não só para universitários, mas, também, para professores interessados em utilizar a dinâmica e a linguagem cinematográfica como material didático suplementar.

Cinejornal
Em 2012, Bagé recebeu as gravações do filme "O Tempo e O Vento", de Jayme Monjardim. O movimento gerado pela passagem da produção na cidade estimulou a criação do projeto Urcamp Documenta, que desenvolveu uma série de filmes curtos, abordando diferentes aspectos do impacto da passagem dessa mega produção na Fronteira. Atualmente, os alunos das disciplinas de Cinema e Telejornalismo produzem cinejornais diários durante o Festival da Fronteira, promovendo a integração entre teoria e prática. "Desde o começo buscamos desenvolver outras atividades além da produção dos cinejornais, como oficinas e palestras", afirma Glauber Pereira, coordenador do curso de Jornalismo. Segundo ele, o novo projeto pedagógico da instituição contempla a integração teoria-prática, e o FICF é um excelente laboratório para aplicação do conteúdo de sala de aula. "Temos previsão de promover sessões de cineclube comentadas no Teatrinho da Urcamp e, também, novas oficinas", completa.
Do ponto de vista dos estudantes, o FICF é uma grande oportunidade, principalmente para alunos já em fase final de formação. "O novo projeto pedagógico da Urcamp tira os alunos da sala de aula para aprender na prática", afirma Filipe Pérez, estudante de Jornalismo. "É uma oportunidade de convívio com profissionais de várias áreas, o que nos proporciona uma visão mais ampla da realidade da profissão", completa Nathália Godoy, aluna do 5º semestre. "A prática é, de certa forma, um currículo. É uma oportunidade para trocar ideias e, também, aprender", comenta Rodrigo Kluwe.
Da mesma forma, o Cinejornal é importante para alunos no começo da graduação. É o caso de Verônica Barbosa, acadêmica do primeiro semestre do curso. "Escolhi o Jornalismo porque acredito que ele é capaz de instigar as pessoas a serem mais críticas e estimula a capacidade de pensar", afirma a estudante. Ela tem grandes expectativas quanto à sua participação no Festival da Fronteira. "Estou muito feliz por entrar na universidade e já participar desse projeto. Como aluna, ser estimulada desde o começo do curso com atividades práticas é um diferencial", completa.

Fronteiras em Debate
Assim como o Cinejornal congrega e estimula alunos com atividades práticas, o Fronteiras em Debate surge para propor discussões e interagir com os princípios da comunicação, do jornalismo e do audiovisual. Em 2018, o salão de atos da Urcamp recebeu um time de peso, composto pelos diretores Jorge Furtado, Paula Markovitch e Tabajara Ruas, além do crítico e Jean-Claude Bernardet, em debate que mediado pelo jornalista Roger Lerina, quando foram discutidas as diversas etapas da produção de cinema, mais especificamente as adaptações literárias para roteiros audiovisuais. Em 2019, a proposta é transmitir a alunos e, principalmente, professores, diferentes maneiras de utilizar o cinema em sala de aula. "É uma grande oportunidade para alunos e professores de outros cursos, como História ou Pedagogia, por exemplo, aprender a não só assistir, mas, também, compreender a linguagem cinematográfica e aplicá-la nas aulas", afirma Pereira. A responsável pela oficina, que acontece nos dias 25 e 26 de abril, às 9h, no salão de atos da Urcamp, é a professora Fatimarlei Lunardelli, profissional com doutorado em Cinema pela USP. As inscrições são gratuitas. Informações podem ser obtidas no site da Urcamp ou pelo e-mail extensãoeventos@urcamp.edu.br ou proen@urcamp.edu.br.

Cineclube
Além das atividades já consagradas, o curso de  Jornalismo se propõe a desenvolver outras atividades. Ao longo do semestre, estão previstas mais três oficinas, que devem incentivar a produção audiovisual entre os realizadores locais, podendo até culminar em material para a Mostra Regional de Curtas Metragens. Outra proposta é a realização de sessões de cineclubismo, a fim de fomentar junto à comunidade a criação e renovação de público para as sessões de cinema, oferecendo reflexão sobre o conteúdo e o poder da plataforma cinematográfica.
O Festival de Cinema da Fronteira acontece nos dias 23 e 24 de abril nas cidades de Santana do Livramento e Rivera (Uruguai) e prossegue de 25 a 27, em Bagé. Além das mostras competitivas, o festival traz oficinas, debates e shows musicais. Esta edição apresenta um recorte temático intitulado "O Renascer do Patrimônio". A realização é da Associação Pró-Santa Thereza e Centro Histórico Vila de Santa Thereza, com financiamento do Sistema Pró-Cultura, da Secretaria de Estado da Cultura (Sedac-RS). A produção é da Anti Filmes, com apoio institucional da Urcamp, Unipampa e Udelar. O jornalista Roger Lerina assina a curadoria de longas-metragens. O evento tem direção artística de Zeca Brito e produção de Frederico Ruas e Maristela Ribeiro. Mais informações na página do Facebook fb.com/festivaldafronteira.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...