ANO: 25 | Nº: 6458
19/04/2019 Cidade

Musicistas encabeçam campanha para revitalizar órgão de tubos da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

Foto: Tiago Rolim de Moura

equipamento foi inaugurado em 1959
equipamento foi inaugurado em 1959
O órgão de tubos da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora completa 60 anos, no dia 24 de maio, e está precisando ser revitalizado para voltar a ativa. O instrumento está sem utilização desde o ano de 2004. Para realizar a revitalização, dois músicos de Bagé, a professora Elisabete Infantini e o organista Alexandre Dutra, estão encabeçando a campanha.

Para Dutra, que teve suas primeiras aulas no instrumento, a revitalização do órgão de tubos é primordial. Ele ressalta que para a modernização do equipamento é necessário R$ 110 mil. Desses, R$ 1,5 mil já foram obtidos através de doação. O músico informa que o órgão chegou em Bagé no ano de 1957 e foi inaugurado em 1959.

O imponente instrumento possui cinco metros de largura, mais de cinco de altura e mais de dois metros de profundidade, os pedais e os tubos de estanho são responsáveis pela sonoridade do órgão. O som é produzido pela passagem do vento, por meio de tubos de metal e madeira. O instrumento foi construído pelo organista alemão radicado no Brasil, Carlos Moehrle, e veio de Jundiaí. Possui um sistema de 537 tubos, 14 registros (timbres), dois teclados com 61 teclas e um pedaleiro de 31 notas.

Dutra comenta que, para a campanha, foi criado um livro de ouro, onde cada doador pode destinar de R$ 200 apadrinhando a reforma de um tubo. Quem não puder doar todo esse montante, pode destinar outros valores através da conta poupança especifica, agência 0120, do Banrisul, número 39.216859.0-0. O musicista lembra que os doadores devem depositar o valor na conta e entrar em contato Elisabete (no telefone 9 9956 0551) ou com ele (9 9137 0486) e o livro será levado até a residência da pessoa para a assinatura.

O musicista ressalta que apenas uma empresa realiza a reforma e será refeito todo o madeiramento, parte interna e modernização do equipamento. Segundo ele, o instrumento é o único da Metade Sul do Estado, e é um bem cultural do município. A revitalização, após conseguir todo o montante, deve demorar em torno de seis meses. "Após a revitalização, queremos realizar formações para incentivar novos organistas", disse.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...