ANO: 25 | Nº: 6400

Fernando Fagonde

fernandofagonde@gmail.com
Professor do curso de Sistemas de Informação da Urcamp | CIO da Y
27/04/2019 Fernando Fagonde (Opinião)

Software Livre

Já pensou em pegar uma ideia sua e disponibilizá-la para que outras pessoas possam desenvolvê-la?

Ou, já pensou em pegar um produto existente, que atenda parcialmente uma necessidade sua, melhorá-lo de acordo com a sua necessidade e distribuí-lo como desejar depois disso?

Melhor ainda, já pensou em participar de um projeto de alguém que você não conhece e auxiliar essa pessoa ou empresa a melhorar o resultado, criar novas funcionalidades e envolver-se em um produto que pode ser até mesmo internacional?

Parece utópico, mas em 1983, Richard Stallman, então funcionário do famoso MIT,  teve um problema com uma impressora do escritório e como já trabalhava com tecnologia e sabia programar pediu ao fabricante da impressora o código do programa que a controlava para que pudesse corrigir o problema.

A empresa negou e o começou aí a organização da Free Software Foundation, uma organização sem fins lucrativos que trabalha dedicando-se a eliminar restrições sobre a cópia, estudo e modificação de programas de computadores, as alternativas que ela recomenda são:

Liberdade de execução, que define que qualquer software pode ser executado pelo seu portador como este bem desejar, não havendo restrições;

Liberdade para modificações, portando o código fonte do software, podemos realizar as alterações que desejarmos, modificar o que for preciso para atender quaisquer necessidades;

Liberdade de distribuição, podemos distribuir o software livre como desejarmos, para quantas pessoas quisermos;

Liberdade de distribuição com as alterações: podemos distribuir também, o software com as nossas alterações, para quem desejar tê-lo;

Esse movimento, deu origem a outras iniciativas que incentivam a liberdade na área de tecnologia, proporcionando a utilização de conceitos, técnicas, programas da forma que mais se adaptar às nossas necessidades.

Alguns exemplos do resultado dessa iniciativa são, o gnu/linux que é um sistema operacional que tem aumentado o seu número de usuários entre as pessoas comuns mas que domina cerca de 90% dos servidores que são responsáveis, entre outras coisas, pela internet do mundo todo; O Mozilla Firefox, que é um navegador rápido e seguro, concorrente do Google Chrome e dos navegadores da Microsoft; O Android, sistema operacional da maioria dos smartphones utilizados na atualidade.

Já que falamos em android, para exemplificar essa liberdade, podemos pegar os smartphones mais modernos de duas fabricantes quaisquer, Samsung e Motorola, por exemplo, analisando os seus celulares identificamos diversas modificações, que tornam os modelos diferentes apesar de usarem a mesma versão do Android. Liberdade de modificação e de distribuição.

Diversos modelos de negócio surgiram a partir dessas ideias, onde desenvolve-se um produto qualquer, disponibiliza-se ele de forma gratuita e colaborativa para quem quiser e, caso seja necessário, um serviço de consultoria pode ser realizado.

Se quisermos ainda, alterar um software e cobrar pelo resultado é perfeitamente possível, a única restrição é manter as liberdades para quem comprar o resultado do nosso trabalho.

Uma das principais vantagens desse formato, na nossa humilde opinião, é a colaboração.

Um programa de computador, disponibilizado de forma livre, pode receber contribuições de várias partes do mundo, de diversos programadores e rapidamente melhorar o seu desempenho, segurança, qualidade ou ganhar novas funcionalidades.

Além disso, quando um usuário precisa de ajuda, a própria comunidade (é assim que chamamos quem se envolve em um projeto) se encarrega de auxiliar.

Algumas empresas gigantes são conhecidas por desenvolverem ferramentas para solucionar problemas internos e disponibilizar essas ferramentas como software livre, por exemplo o Google, Facebook, IBM, Amazon, Docker, Cisco, Oracle, Digital Ocean, Red HAt, Suse, MIT e a própria Microsoft.

Os Softwares livres são alternativas bastante relevantes pois se atualizam e adaptam com maior velocidade, adequando-se às necessidades da nossa sociedade que demanda cada dia mais tecnologia para as mais variadas situações além do custo ser menor, proporcionando uma margem inicial maior.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...