ANO: 25 | Nº: 6378

Viviane Becker

viviminuano@hotmail.com
Colunista social do Jornal Minuano, Viviane Becker é experiente jornalista de geral e conhecida editora do caderno de variedades Ellas.
03/05/2019 Caderno Ellas

O Amor só faz conta de multiplicação

Foto: Reprodução JM

Por Rosane Coutinho

No mês que comemoramos o Dia das Mães e também temos como referência as noivas, usamos como pauta o amor entre duas pessoas, afinal de contas, todos nós sonhamos em encontrar o “um grande amor”.

E quando isso acontece, duas almas afins se encontram e resultam em inúmeras multiplicações deste amor. Aí, então, a história fica muito mais interessante!

Delma de Mello Dalé, aos 83 anos, conta que conheceu o amor de toda a sua vida em um “grito de Carnaval”, no Clube Caixeiral, há quase 70 anos. Ela tinha 15 anos quando José Ferreira Dalé pegou da sua mão pela primeira vez e nunca mais se soltaram.

O fruto da união deles resultou em quatro filhos, 15 netos e está a caminho o 11º bisneto. Viúva há quase cinco anos, Delma conta emocionada que eles foram o primeiro e único amor, um na vida do outro. Essa mãe dedicada, renunciou de ter uma profissão para cuidar com todo o carinho da família. Até os dias atuais, mantém o clã unido. Ela conta orgulhosa que os almoços, aos sábados, seguem sendo no sítio, com todos reunidos, onde surgem as lembranças, saudades, alegrias, acompanhadas de belos buffets feitos por ela. “Adoro cozinhar e fazer doces de todas as espécies”, explana.

Apaziguadora e conselheira, a matriarca da família Dalé é o principal elo nesta linhagem. “Sou muito participativa, tenho lucidez e um ótimo raciocínio, afinal das contas sei de cabeça mais de 40 números telefônicos e dirijo, vou para onde eu quero e na hora que quero. Meu objetivo é sempre o mesmo: manter a harmonia entre todos nós para que o melhor ocorra”, exterioriza.

 

Avó é mãe dedicada

Felizes são as pessoas que têm o prazer de desfrutar da presença de seus avós em suas vidas. E disso a família Dalé pode se orgulhar. Carioca por natureza, mas bajeense de coração, Delma, fala com muita emoção do quanto gosta de estar na companhia dos netos. “As gurias estão programando um curso de culinária em família, onde eu serei a mentora, cada semana será em uma residencial”, se orgulha.

Um dos presentes que a 'vó Delma' gosta de produzir, nas datas especiais, são livros de receitas personalizados e com as comidas prediletas do agraciado. Mas o valor que esses mimos têm é de relíquia familiar, pois a avó gosta de escrever a próprio punho e com letra trabalhada. “Minha letra sempre foi muito elogiada. Até hoje, uso cheques para estar sempre exercitando a caligrafia”, enfatiza.

 

Refinada e detalhista

Ela é refinada e dotada de dons artísticos. Isso perceptível ao chegar em seu apartamento, onde é possível apreciar as paredes todas decoradas com quadros de sua autoria. E ela já vai logo contando que não precisa desenhar antes. É só pegar a tela em branco, ter pincel e tinta que as ideias surgem. Outro ponto que vale ressaltar, são os acrósticos que adora compor de forma muito poética.

 

Um amor além da vida

Ela foi separada do seu grande amor, após 62 anos de matrimônio, mesmo após sua partida ela sente que ele está sempre por perto. “Tenho um quadro muito especial, na cabeceira da cama, com imagens do nosso casamento e de quando renovamos os votos nas bodas de ouro. Então, antes de dormir, rezo e penso nele e nos sonhos, ele está comigo”, confessa.

Foram seis décadas juntos, onde o amor venceu inúmeras dificuldades. Assim, é possível compreender o quanto é importante amar, ser amado, respeitar e ser respeitado, confiar e ser confiável. Isso tudo justifica essa doação à família, o amor incondicional dessa mãe e a paixão por seus netos!

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias do caderno

Outras edições

Carregando...