ANO: 25 | Nº: 6334

Airton Gusmão

redacaominuano@gmail.com
Pároco da Catedral
04/05/2019 Airton Gusmão (Opinião)

A importância da comunidade cristã


Sob o Tema: "Em comunidade, juntos na missão, criamos raízes", e Lema: "Permaneçam unidos a mim, que eu permanecerei unidos a vocês" (Jo 15,4), estará acontecendo no dia 16 de Junho, Festa da Santíssima Trindade, na Paróquia do Arcanjo São Gabriel, na Comunidade Santa Margarida A'lacoque, o 18º Encontro Diocesano de Comunidades Eclesiais de Base(CEBs), juntamente com a abertura do Ano Jubilar dos 60 anos da Diocese de Bagé.
Refletindo sobre o valor da comunidade, lembramos a seguinte historinha: "Um grupo de escoteiros estava participando de um acampamento. O clima era de muita alegria. Quando a noite chegou, juntaram um monte de lenha e fizeram uma grande fogueira. Estavam bem juntinhos, em círculo, e conversavam alegremente à luz das chamas que iluminavam seus rostos. Mas, em dado momento, um deles zangou-se com qualquer coisa. Pegou um pedaço de lenha da fogueira e foi sentar-se longe dos outros. O pedaço de madeira brilhava intensamente e aquecia-o. Mas, pouco a pouco começou a enfraquecer, até se apagar. O jovem solitário ficou mergulhado na escuridão e no frio da noite. Pensou um momento e decidiu levantar-se. Pegou seu pedaço de lenha apagado e juntou-se aos seus companheiros. Os colegas receberam-no com alegria. Acenderam seu pedaço de lenha e o deixaram junto à fogueira que haviam feito. E a luz do fogo voltou a iluminar seu rosto" (Vivendo e aprendendo. Histórias para o dia a dia; pag. 27).
Sempre é importante lembrar que "a Igreja foi desejada e projetada pelo Pai, é criatura do Filho e constantemente é vivificada pela ação do Espírito Santo. A dimensão comunitária é fundamental na Igreja, pois se inspira na própria Santíssima Trindade, a perfeita comunidade de amor. Sem comunidade não há como viver autenticamente a experiência cristã" (Comunidade de comunidades: uma nova paróquia; Documento nº 100 da CNBB, nº 154).
Na visão bíblica o ser humano não é concebido como indivíduo isolado e autônomo. Ele é membro de uma comunidade, encontra sua identidade pessoal como membro do Povo de Deus; ele se forma nas relações que estabelece com a comunidade de fé, tendo sempre Jesus Cristo como centro desta experiência pessoal e comunitária.
No Livro dos Atos dos Apóstolos temos alguns testemunhos das primeiras comunidades cristãs. Entre estes destacamos aquele que serve de inspiração para qualquer comunidade cristã, que diz: "Eles eram perseverantes em ouvir o ensinamento dos apóstolos, na comunhão fraterna, na fração do pão e nas orações" (At 2,42).
O ensinamento dos apóstolos: a palavra dos apóstolos é a nova interpretação da vida e da lei a partir da experiência da ressurreição. Os cristãos tiveram a coragem de romper com o ensinamento dos escribas, os doutores da época, e passaram a seguir o testemunho dos apóstolos. Os primeiros cristãos consideravam a palavra dos apóstolos como Palavra de Deus (1Ts 2,13).
A comunhão fraterna: esta indica a atitude de partilha de bens. Colocavam tudo em comum e por isso, não havia necessitados entre eles (At 2,44-45; 4,32; 34-35). Tinham o ideal de chegar também a uma partilha dos bens espirituais, dos sentimentos e da experiência de vida, buscando uma convivência que superasse as barreiras existentes (Gl 3,28; 1Cor 12,13).
A fração do pão (Eucaristia): era uma herança das refeições judaicas, principalmente a ceia pascal, onde o pai partilhava o pão com os filhos e com aqueles que não tinham nada. Esta expressão lembrava para os primeiros cristãos as muitas vezes em que Jesus tinha partilhado o pão com os discípulos (Jo 6,11). Lembrava também o gesto que abriu os olhos dos discípulos para a presença de Jesus no meio da comunidade (Lc 24,30-35).
As orações: através desta experiência os cristãos permaneciam unidos a Deus e entre si (At 5,12), e se fortaleciam na hora das perseguições (At 4,23-31). Os apóstolos afirmavam que não poderiam anunciar bem o Evangelho se não se dedicassem à oração assídua (At 6,4).
Essas primeiras comunidades cristãs servem de inspiração para toda comunidade que pretenda ser discípula missionária de Jesus Cristo. Portanto, enquanto cristãos batizados no mistério da Santíssima Trindade, vivamos em comunidade a nossa fé e demos testemunho de Jesus Cristo, a exemplo dos primeiros cristãos. E desde já vamos rezando pelo 18º Encontro Diocesano de Comunidades Eclesiais.
Vivamos a fé cristã em comunidade. Façamos a nossa parte. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação, perseverantes na oração e solidários com os que sofrem. Um bom final de semana a todos e até uma próxima oportunidade.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...