ANO: 25 | Nº: 6401
09/05/2019 Cidade

Associação irá judicializar ação contra venda de estatais

Foto: Divulgação

Servidores acompanharam a votação
Servidores acompanharam a votação

A aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 272/2019, em segundo turno, pela Assembleia Legislativa, por 39 votos a 13, na terça-feira, retirou a obrigatoriedade de se realizar plebiscito para venda de estatais. A aprovação do texto permite que o governo do Estado encaminhe a venda da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), Sulgás e Companhia Riograndense de Mineração (CRM) sem a necessidade de uma consulta formal à população. Em contraponto, a Associação dos Funcionários Públicos em Defesa das Estatais e do Patrimônio Público do Rio Grande do Sul (Adefers) anunciou que pretende impetrar uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) contra a medida.

Conforme o presidente da Adefers, Fabrício Cavalheiro, a aprovação da PEC 272 tira o direito democrático do Povo ao Plebiscito e dá direito ao monopólio, retirando do artigo 163 os parágrafos 1,2,3. Desta forma, conforme ele, uma só empresa poderá ter o domínio sobre o setor energético do Estado. “Dois terços da distribuição já pertencem a uma estatal chinesa. Essa entrega é criminosa, pois nossa energia e soberania estará nas mãos de um outro país”, destaca.

Cavalheiro ressalta que, com a aprovação da PEC, o Governo abre mão de várias coisas e o Estado irá sofrer as consequências no futuro. De acordo com ele, as três estatais produziram dossiês com documentos comprovando suas viabilidades. “Os argumentos do governo para a venda não são verdadeiros. Ainda temos muita luta pela frente”, ressalta,

Votação

O placar foi quase idêntico à votação no primeiro turno, quando a base governista fez 40 votos. Desta vez, porém, o deputado Adolfo Brito (PP) não votou, pois está em licença médica.

Na mesma sessão, a redação final da PEC também foi aprovada. Isso permitirá ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Luis Augusto Lara (PTB), promulgar as alterações no Diário Oficial da Casa e, em seguida, o texto poderá sair no Diário Oficial do Estado, quando, aí sim, passará a valer.

Passadas estas etapas, o governo deverá encaminhar os projetos para a venda de CEEE, CRM e Sulgás. De acordo com o líder do governo no Legislativo, Frederico Antunes (PP), os textos poderão ser enviados do Piratini ainda nesta semana.

O governador Eduardo Leite, já confirmou a celeridade que o processo de privatização das três estatais deverá ter. “Os projetos estão prontos, já foram amplamente debatidos, e chegou o momento de focarmos da etapa final das privatizações”, disse, destacando que as vendas possibilitarão investimentos no Rio Grande do Sul.

 

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...