ANO: 25 | Nº: 6279
10/05/2019 Brasil

Governo inclui aeroporto de Bagé em pacote de novas concessões

Foto: Divulgação

Edital inserindo estrutura da Rainha da Fronteira foi lançado em março
Edital inserindo estrutura da Rainha da Fronteira foi lançado em março
O conselho do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI) do governo federal incluiu mais 59 novos projetos na lista de empreendimentos a serem concedidos à iniciativa privada nos próximos anos. São rodovias, ferrovias, portos, hidrovias, linhas de transmissão, reservas de petróleo e gás, além de aeroportos, incluindo o Aeroporto Internacional de Bagé - Comandante Gustavo Kraemer. O governo estima que os projetos possam representar investimentos de até R$ 1,57 trilhão em 10 anos.
O PPI foi criado por meio de lei em 2016, durante o governo Michel Temer. Em balanço apresentado em coletiva de imprensa na quarta-feira, 8, o ministro da Secretaria de Governo, Santos Cruz, responsável pelo programa, informou que dos 193 projetos apresentados nos últimos 35 meses, 147 já foram contratados pela iniciativa privada, com investimentos de R$ 260,2 bilhões, sem contar as outorgas de cerca de R$ 54,1 bilhões para a União.
Entre outros empreendimentos, o PPI incluiu a sexta rodada de concessões de aeroportos, que deverá atingir um total de 22 terminais, divididos em três blocos regionais. O edital foi lançado em março. O Bloco Sul tem investimento estimado de R$ 2,2 bilhões, contempla os aeroportos de Bagé, Curitiba, Foz do Iguaçu, Uruguaiana, Bacacheri, Londrina, Pelotas, Navegantes e Joinville.
O PPI incluiu projetos de concessão de 14,5 mil quilômetros de rodovias, como as rodovias 381 (trecho entre Belo Horizonte e Governador Valadares, em Minas Gerais), 262 (entre Viana, no Espírito Santo e João Monlevade, em Minas Gerais), 163 (entre Sinop e Mairitituba, no Mato Grosso). Mais 15 trechos rodoviários em 13 estados também estão no pacote. Dentro dos novos projetos do PPI, o governo federal também inseriu a privatização de duas estatais ligadas à área de transporte público, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) e a Trensurb.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...