ANO: 25 | Nº: 6282

Airton Gusmão

redacaominuano@gmail.com
Pároco da Catedral
11/05/2019 Airton Gusmão (Opinião)

A iniciativa amorosa de Deus nos convida a um grande Projeto

Neste quarto domingo do Tempo Pascal, do Bom Pastor, Dia das Mães, é também o Dia Mundial de oração pelas vocações. Com o tema: “A coragem de arriscar pela promessa de Deus”, trazemos presente alguns trechos da Mensagem do Papa Francisco para o 56º Dia Mundial de Oração pelas Vocações.
 “Desejo refletir sobre a chamada do Senhor enquanto nos torna portadores duma promessa e, ao mesmo tempo, nos pede a coragem de arriscar com Ele e por Ele - a promessa e o risco -, contemplando a cena evangélica da vocação dos primeiros discípulos junto ao lago da Galileia (Mc 1,16-20).
Simão e André, juntamente a Tiago e João, eram pescadores; e nesta profissão aprenderam as leis da natureza, desafiando-as quando os ventos eram contrários e as ondas agitavam os barcos. Em certos dias a pesca era abundante; outras vezes, com o trabalho duma noite inteira, voltava-se para a margem cansados e desiludidos.
Estas são as situações comuns da vida, onde cada um de nós se confronta com os desejos que traz no coração, se empenha em atividades que possam ser frutuosas, se adentra num ‘mar’ de possibilidades sem conta à procura da rota certa, capaz de satisfazer a sua sede de felicidade. Às vezes, goza-se duma pesca boa; noutras é preciso armar-se de coragem para governar um barco sacudido pelas ondas, ou lidar com a frustração das redes vazias.
Como na história de cada vocação, também neste caso acontece um encontro. Jesus vai pelo caminho, vê aqueles pescadores e aproxima-se, quebrando a ‘paralisia da normalidade’. E não tardou a fazer-lhes uma promessa: ‘Farei de vós pescadores de homens’ (Mc 1,17).
A chamada do Senhor não é uma ingerência de Deus na nossa liberdade; não é uma jaula’ ou um peso. Pelo contrário, é a iniciativa amorosa com que Deus vem ao nosso encontro e nos convida a entrar num grande projeto, do qual nos quer tornar participantes, apresentando-nos o horizonte dum mar amplo e duma pesca superabundante.
O desejo de Deus é que a nossa vida não se torne prisioneira do banal, não se deixe arrastar por inércia nos hábitos de todos os dias, nem permaneça inerte perante aquelas opções que lhe poderiam dar significado. O Senhor nos quer fazer descobrir que cada um de nós é chamado para algo de grande, e que a vida não deve ficar presa nas redes do sem-sentido e daquilo que anestesia o coração.
Recebemos com o Batismo a chamada à vida cristã, que nos lembra como a nossa vida não é fruto do acaso, mas uma dádiva a filhos amados pelo Senhor, reunidos na grande família da Igreja. Depois, a vida cristã encontra a sua expressão naquelas opções que contribuem também para o crescimento do Reino de Deus na sociedade. A opção de se casar em Cristo e formar uma família, bem como nas outras vocações ligadas ao mundo do trabalho e das profissões, no compromisso no campo da caridade e da solidariedade, nas responsabilidades sociais e políticas.
No encontro com o Senhor, alguém pode sentir o fascínio duma chamada à vida consagrada ou ao sacerdócio ordenado. Essa escolha inclui o risco de deixar tudo para seguir o Senhor e de consagrar-se completamente a Ele para colaborar na sua obra; mesmo com as resistências interiores e contextos muito secularizados, onde pode-se desanimar e cair no ‘cansaço da esperança’.
Não há alegria maior do que arriscar a vida pelo Senhor. Particularmente, vós, jovens, não sejais surdos à chamada do Senhor. Se Ele vos chamar por essa estrada, não vos oponhais e confiai n’Ele. Não vos deixeis contagiar pelo medo. Lembrai-vos sempre que o Senhor, àqueles que deixam as redes e o barco para O seguir, promete a alegria duma vida nova, que enche o coração e anima o caminho.
Precisamos olhar para Maria. Na história daquela jovem, a vocação também foi uma promessa e, simultaneamente, um risco. Mas ela não permitiu que o medo a vencesse. Pergunto a cada um de vós: sentes-te portador de uma promessa? Que promessa trago no meu coração, devendo dar-lhe continuidade? Unimo-nos em oração pedindo ao Senhor que nos faça descobrir o seu projeto de amor para a nossa vida, e que nos dê a coragem de arriscar no caminho que Ele, desde sempre, pensou para nós”.
Escutemos com alegria o chamado que o Senhor faz a cada um de nós e demos a nossa resposta. Façamos a nossa parte. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação, perseverantes na oração e solidários com os que sofrem. Que Jesus Cristo, o Bom Pastor, pela intercessão de Maria, abençoe e acompanhe todas as mães. Um bom final de semana a todos e até uma próxima oportunidade.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...