ANO: 25 | Nº: 6282

Egon Kopereck

egonkopereck@gmail.com
Pastor da Congregação Evangélica Luterana da Paz
11/05/2019 Egon Kopereck (Opinião)

A mãe que eu admiro

Amigos leitores, estamos diante do Dia das Mães.
Ser mãe, em si, não é nada extraordinário, mas algo comum. A maioria das mulheres podem ser mãe. Mas qual é a mãe que queremos destacar? Qual é a mãe/mulher que merece nossa admiração?
A mãe que queremos destacar, e que merece nossa admiração, nossa homenagem e nosso elogio, não é tanto a mulher bela, por mais que louvemos a beleza da mulher.
A mãe que admiramos, elogiamos e destacamos, não é tanto a mulher culta, por mais que louvemos a inteligência e o saber da mulher.
A mãe que destacamos, homenageamos e admiramos, não é tanto a mulher rica, por mais que louvemos os bens materiais que uma mulher possa ter.
A mãe que homenageamos, destacamos e admiramos, é a mulher que luta pelo seu lar e por sua felicidade, como fez Ana, a mãe do profeta Samuel, que diante da dificuldade orou ao Senhor, e foi atendida por Deus, como nos é descrito na Bíblia em 1 Samuel, capítulo 1.
A mãe que admiramos, destacamos e homenageamos, é aquela que defende o seu marido, se importa com ele, o protege diante do perigo, sendo uma fiel e dedicada companheira, como foi Mical, esposa de Davi, que o defendeu e avisou dos perigos, como nos relata o texto de 1 Samuel 19.
A mãe que admiramos, homenageamos e destacamos é aquela que defende os seus filhos, como fez Jeoseba, que assumiu o lugar dos pais, na falta destes, para defender o seu sobrinho dos seus inimigos, conforme nos relata 2 Reis 11.
Mas, acima de tudo, a mãe que destacamos, que merece todo o nosso louvor, as homenagens, o carinho e a admiração de todos nós, mas especialmente dos seus filhos, é aquele que sabendo defender o seu lar, o seu esposo, os seus filhos, teme ao Deus Eterno, e o serve com alegria e fidelidade , como fez Maria, a irmã de Lázaro, ou Maria a mãe do Salvador, ou ainda, Isabel, Lídia, Dorcas, Eunice, Lóide, e tantas outras que a Bíblia menciona e destaca.
Prezadas mães! A formosura é uma ilusão, a beleza acaba, a riqueza é fugaz e passageira, a cultura, o conhecimento, nem sempre é sinal ou sinônimo de sabedoria, mas o temor e o amor a Deus, os cuidados com a educação dos filhos, o cuidado para sempre guardar tempo para Deus no lar, isso é o que pode, e, de fato, faz a diferença neste nosso mundo agitado e conturbado, onde os verdadeiros valores, muitas vezes, são deixados de lado, por coisas que o tempo, a traça e a ferrugem destroem e corroem.
Por isso Deus diz: "A formosura é uma ilusão, a beleza acaba, mas a mulher que teme ao Deus Eterno será elogiada." Provérbios 31.30.
O livro de Provérbios, na Bíblia Sagrada, não poderia ter terminado com maior felicidade, senão com este acróstico sobre a mulher virtuosa. Elogio digno e merecido.
Salomão destacou a mulher virtuosa, mas nem tudo é fruto da sua diligência, e, sim, do seu temor a Deus, pois como diz o texto: "A mulher que teme ao Senhor, essa será louvada." Sem dúvida, os grandes males de nossos dias decorrem da falta desse temor a Deus. Pais que não tem mais tempo para Deus em sua vida, correm atrás do vento, buscando coisas fúteis e banais, coisas que não garantem a felicidade, nem deles e muito menos dos seu filhos, e, assim, se perdem nas futilidades dessa vida e não ensinam, nem guiam seus filhos no caminho da verdadeira felicidade.
Deus abençoe nossas mães virtuosas!

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...