ANO: 25 | Nº: 6309
11/05/2019 Campo e Negócios

CNA participa de encontros com japoneses para abrir novos mercados

Foto: Reprodução JM

Comitiva iniciou roteiro na quinta-feira
Comitiva iniciou roteiro na quinta-feira
No primeiro dia de encontros no Japão, a comitiva da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a qual conta com a participação do bajeense Gedeão Pereira, participou de uma série de agendas com o objetivo de abrir novos mercados aos produtos do agro brasileiro e também para conhecer as demandas e os interesses dos japoneses em investir em áreas como infraestrutura e logística.

A CNA integra a comitiva empresarial do Ministério da Agricultura que está em uma missão de 16 dias por quatro países na Ásia. O foco é a abertura de mercado para os produtos agropecuários brasileiros, em especial, proteínas, lácteos e frutas. Na quinta-feira, a comitiva, composta por empresários, parlamentares e representantes do governo, visitou a Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica), o Ministério da Agricultura e a Federação das Indústrias do Japão (Keidanren).

"Acompanhamos a ministra Tereza Cristina em três importantes reuniões e pudemos observar o interesse dos japoneses no Brasil. Eles têm muito conhecimento do nosso país e estavam realmente interessados na área de infraestrutura e logística para criar possibilidade de fazer investimentos", afirmou Gedeão Pereira, diretor de Relações Internacionais da CNA e presidente da Federação de Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Farsul).

Para o vice-presidente da CNA e presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Amazonas (Faea), Muni Lourenço, os encontros foram importantes, sobretudo, "para consolidar, diversificar e ampliar a pauta do agronegócio brasileiro para esses países tão importantes. Afinal de contas esses quatro países representaram, em 2018, praticamente 40% de todas as exportações do agronegócio brasileiro".

Os representantes da CNA fizeram uma agenda paralela e visitaram o Conselho de Promoção de Exportação de Frutas do Japão. "Nos chamou atenção que o consumo de frutas japonesas ainda está muito baixo, em torno de 100 gramas habitante/ano. Eles estão fazendo incentivos para que se chegue a 200 gramas e essa é uma oportunidade para o Brasil", destacou Gedeão Pereira.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, reforçou que o diálogo com os japoneses foi positivo e que a abertura do mercado japonês para as frutas brasileiras está próxima. "Fomos ao Ministério da Agricultura conversar sobre abertura de mercado das nossas carnes naturais e também sobre o abacate, que está bem próximo da abertura para essa fruta brasileira, que hoje tem uma grande aceitação no Japão e é usada na alimentação e também na produção de cosméticos. É uma fruta muito procurada pelos japoneses e em breve acredito que teremos esse mercado para o Brasil", mencionou.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...