ANO: 25 | Nº: 6334

Airton Gusmão

redacaominuano@gmail.com
Pároco da Catedral
24/05/2019 Airton Gusmão (Opinião)

A alegria e sentido de humor


A Alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus. Com Jesus Cristo a alegria renasce sem cessar. Da alegria trazida pelo Senhor ninguém é excluído, já dizia Paulo VI na Exortação Apostólica 'Gaudete in domino', em 09/05/1975.
Com certeza, ao escrever sobre a alegria e sentido de humor, na sua exortação sobre o chamado à santidade no mundo atual, o Papa teve presente o que escreveu na Exortação Apostólica 'A Alegria do Evangelho', quando disse: o grande risco do mundo atual é a tristeza individualista que brota do coração comodista e mesquinho. Esse risco, certo e permanente, correm também os crentes. Muitos caem nele, transformam-se em pessoas ressentidas, queixosas, sem vida (nº 02)
A alegria é uma marca cristã. O Evangelho convida insistentemente à alegria: "Alegra-te" é a saudação do anjo a Maria" (Lc 1,28); a visita de Maria a Isabel faz com que João salte de alegria no ventre de sua mãe (Lc 1,41); no Magnificat, Maria proclama: "O meu espírito se alegra em Deus meu Salvador" (Lc 1,47); quando Jesus começa o seu ministério, João exclama: "Esta é a minha alegria! E tornou-se completa" (Jo 3,29); o próprio Jesus "estremeceu de alegria sob a ação do Espírito Santo" (Lc 10,21). A Mensagem de Jesus é fonte de alegria: "Manifestei-vos estas coisas para que esteja em vós a minha alegria, e a vossa alegria seja completa" (Jo 15,11).
A nossa alegria cristã brota da fonte do seu coração transbordante. Ele promete aos seus discípulos: "Vós havereis de estar tristes, mas a vossa tristeza há de converter-se em alegria" (Jo 16,20). E diz ainda: "Eu hei de ver-vos de novo! Então o vosso coração há de alegrar-se e ninguém vos poderá tirar a vossa alegria" (Jo 16,22). Lemos ainda que, depois de verem o Ressuscitado, "encheram-se de alegria" (Jo 20,20). O Livro dos Atos dos Apóstolos, falando das primeiras comunidades, afirma que: "tomavam o alimento com alegria" (At 2,46). Sobre os discípulos do Senhor, escuta-se que por onde passavam "havia grande alegria" (Jo 8,8) e, mesmo em meio à perseguição, "estavam cheios de alegria" (Jo 8,39).
Falando sobre a alegria e o sentido de humor o Papa Francisco nos diz o seguinte: "O santo é capaz de viver com alegria e sentido de humor. Sem perder o realismo, ilumina os outros com um espírito positivo e rico de esperança. Ser cristão, nos afirma São Paulo, é "alegria no Espírito Santo" (Rm 14,17), porque do amor de caridade, segue-se necessariamente a alegria. Se deixarmos que o Senhor nos arranque da nossa concha e mude a nossa vida, então poderemos realizar o que pedia São Paulo: "Alegrai-vos sempre no Senhor. Repito, alegrai-vos" (Fl 4,4).
Ainda nos motivando para a experiência da alegria e sentido de humor, o Papa continua falando para todos nós: "Existem momentos difíceis, tempos de cruz, mas nada pode destruir a alegria sobrenatural, que se adapta e transforma, mas sempre permanece, pelo menos como um feixe de luz que nasce da certeza pessoal de sermos infinitamente amados".
Ele continua: "Normalmente, a alegria cristã é acompanhada pelo sentido de humor, tão saliente na vida de vários santos (Tomás Moro, São Vicente de Paulo, São Filipe Néri). O mau humor não é um sinal de santidade: 'tira a angústia do teu coração e afasta o mal do teu corpo' (Ecl 11,10). É tanto o que recebemos do Senhor 'para nosso bom uso' (1Tm 6,17), que às vezes a tristeza tem a ver com a ingratidão, com estar tão fechados em nós mesmos que nos tornamos incapazes de reconhecer os dons de Deus".
E conclui o Papa: "Não estou falando da alegria consumista e individualista muito presente em algumas experiências culturais de hoje. O consumismo só atravanca o coração; pode proporcionar prazeres ocasionais e passageiros, mas não alegra. Refiro-me antes, àquela alegria que se vive em comunhão, que se partilha e comunica, porque 'há mais felicidade em dar do que em receber' (At 20,35) e 'Deus ama quem dá com alegria' (2Cor 9,7). O amor fraterno multiplica a nossa capacidade de alegria, porque nos torna capazes de rejubilar com o bem dos outros: 'alegrai-vos com os que se alegram' (Rm 12,15).
Façamos a nossa parte. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação, perseverantes na oração e solidários com os que sofrem. Um bom final de semana a todos e até uma próxima oportunidade.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...