ANO: 25 | Nº: 6384
27/05/2019 Cidade

Justiça Eleitoral cancela mais de 1,5 mil títulos em Bagé

Foto: Arquivo JM

Quem não compareceu nos três últimos pleitos, não justificou ou regularizou, teve documento cancelado
Quem não compareceu nos três últimos pleitos, não justificou ou regularizou, teve documento cancelado

No final da última semana, a Justiça Eleitoral publicou a listagem do número de títulos eleitorais cancelados no Brasil. A medida atinge eleitores que não votaram ou não justificaram ausência em três eleições consecutivas, sendo que cada turno é contabilizado como um certame. Na região, foram mais de 1,6 mil documentos cancelados.
De acordo com as estatísticas apresentadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Bagé conta com 92.121 eleitores. Contudo, ainda dentro do prazo de regularização, encerrado no início deste mês, 60 pessoas acertaram suas pendências com o órgão, mas 1.544 pessoas não buscaram ajuste com a Justiça Eleitoral e terão seus documentos cancelados.
Em Aceguá, serão cancelados 32 títulos dos 3.655 eleitores registrados no município. Em Hulha Negra, o número de cancelamentos chegou a 24 dentro da cidade, que conta com 4.608 eleitores. Em Candiota, foi registrado o menor índice de cancelamento, com apenas nove títulos cancelados entre os 7.306. Apenas um eleitor de Aceguá, um de Candiota e dois de Hulha Negra buscaram a regularização do título antes do final do prazo, no dia 6 de maio.
Quem teve o título cancelado deverá pagar uma multa e, em seguida, poderá fazer a regularização da sua situação no seu cartório eleitoral, levando documento de identificação oficial original com foto, comprovante de residência e o título, se ainda o possuir.
O eleitor que teve o documento cancelado poderá ser impedido de obter passaporte ou carteira de identidade, receber salários de função ou emprego público e contrair empréstimos em qualquer estabelecimento de crédito mantido pelo governo. A irregularidade também pode gerar dificuldades para inscrição, investidura e nomeação em concurso público; renovação de matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo; e obtenção de certidão de quitação eleitoral ou qualquer documento perante repartições diplomáticas a que estiver subordinado, entre outras.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...