ANO: 25 | Nº: 6313
30/05/2019 Fogo cruzado

Hamm assume vice-presidência da Frente Parlamentar do Carvão Mineral

Foto: Divulgação

Progressista coordenou colegiado na legislatura passada
Progressista coordenou colegiado na legislatura passada
A Frente Parlamentar Mista em Apoio ao Carvão Mineral foi reinstalada pelo Congresso Nacional, na terça-feira, 28. O deputado federal Afonso Hamm, do Progressistas, assumiu a vice-presidência. A coordenação dos trabalhos será realizada pelo deputado Daniel Freitas, do PSL de Santa Catarina.
Durante a solenidade, que contou com a presença do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, Hamm destacou que, ao longo dos 14 anos de existência da Frente, ocorreram significativos avanços para o setor na geração de energia. "Sabemos que a atividade do carvão mineral propicia milhares de empregos, além da segurança energética que é indispensável ao desenvolvimento nacional. Vamos trabalhar políticas públicas para que através de novas tecnologias o setor possa produzir energia firme e segura para atender a população, especialmente nos momento em que as hidrelétricas e os recursos hídricos não tiverem condições de dar suporte pelas questões climáticas", afirma.
O presidente da Associação Brasileira do Carvão Mineral (ABCM), Fernando Zancan, ressaltou a importância da Frente Parlamentar para o carvão mineral. "Nossas ações seguem voltadas para a efetivação de políticas para o setor, preços competitivos; política industrial para a utilização do carvão mineral na carboquímica e fertilizantes e a garantia das políticas de produção e geração de energia com a modernização das usinas", destaca.
A inclusão do carvão mineral no leilão de energia do governo federal foi uma das grandes demandas do setor, viabilizando a construção da Usina Termelétrica (UTE) Pampa Sul. A Engie adquiriu o direito de operação da nova usina por 25 anos, a partir de 2019. O empreendimento, com capacidade instalada de 345 megawatts (MW) e investimento total de R$ 2,5 bilhões, mudou a realidade da localidade do Seival, em Candiota.
Nos últimos quatro anos, o canteiro de obras movimentou milhares de trabalhadores. "A região da Campanha tem alto potencial produtivo, no que se refere ao carvão mineral, com reservas abundantes. O novo investimento está incrementando a economia regional, garantindo mais empregos e a geração de tributos, a qualificação da mão de obra e o aumento da oferta de energia", assinala o deputado, ao comentar que a usina, desde o dia 21 de maio, está sincronizada ao sistema interligado nacional e após algumas etapas deve entrar em fase de operação.
A expectativa de novos leilões também está entre as demandas da Frente Parlamentar. O leilão para compra de energia elétrica de novos empreendimentos, denominado de A-6, foi marcado para outubro de 2019. Dois projetos para a construção de termelétricas da região devem ser cadastrados, entre eles o da Ouro Negro, que será construída em Pedras Altas, e da Nova Seival, projetada para Candiota.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...