ANO: 25 | Nº: 6334
31/05/2019 Opinião

Pessoas intranquilas e pessoas serenas!

Você se considera uma pessoa serena ou intranquila? Quando pensamos no que é contrário de serenidade, nos vem à mente o que é turbulento, que produz confusão, irrequieto e intranquilo. Do latim, turbar significa desordem, rumor, perturbação, confusão. Uma pessoa assim é aquela que vive perturbada por seus próprios pensamentos, intranquila, não tem paz, vive confusa por seus próprios ruídos.
O coração e a mente podem permanecer em estado de intranquilidade, quando não sabemos lidar com a vida e fazer a gestão de nossos pensamentos e emoções. A perturbação não está fora da pessoa, mas dentro. Há pessoas que parecem estar sempre procurando algo. Estão aqui e longe ao mesmo tempo. Falam das coisas como se lhe faltasse sempre algo. Nessa situação, a pessoa não consegue pensar a vida com clareza. As emoções a arrastam sempre para ruídos que impossibilitam a paz.
Pessoas assim não são senhoras da sua própria casa. Sua casa parece sempre habitada por estranhos que perturbam, porque quem habita a sua interioridade são suas emoções e pensamentos perturbadores. Nisso não consegue ser lúcido e exercer uma liderança positiva. Vai deixar quem está perto intranquilo.
Se uma alguém assim for gestor em uma empresa, seus funcionários ficarão inquietos. Ele pensa que espalhando intranquilidade vai fazer quem está ao seu redor trabalhar. Ao invés de estimular o trabalho, provoca agitação.
Contra esse tumulto é preciso encontrar a paz interior. Encontra a paz no coração quem consegue estar consigo mesmo, perceber suas perturbações e acalmar seus pensamentos. A sintonia com Deus também fará com que a pessoa desenvolva em torno de si uma atmosfera de serenidade e tranquilidade. Os colaboradores e funcionários que estão em torno de uma pessoa que busca a paz interior, vão se sentir mais seguros e se dedicarão ao trabalho com mais empenho e prazer.
A força não está na inquietação, mas sim na tranquilidade e na serenidade. A paz interior na pessoa será sempre fruto da busca da própria verdade. Quando eu sou verdadeiro, sou aquilo que sou e me aceito como sou diante de Deus, então vou acalmando as minhas inquietações, perturbações e vou encontrando a paz e a tranquilidade que inspira também quem está ao meu redor.

Padre Ezequiel Dal Pozzo
contato@padreezequiel.com.br

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...