ANO: 25 | Nº: 6400

Rochele Barbosa

rochelebarbosa@gmail.com
Jornalista formada pela Universidade da Região da Campanha. Responsável pela produção e reportagem do caderno de Saúde do Jornal MINUANO
03/06/2019 Caderno Minuano Saúde

Musicalização como ferramenta psicoterápica na estimulação da criança autista

Foto: Divulgação

Capa
Capa

A música é uma ferramenta poderosa, com capacidade para causar grande impacto na vida de qualquer pessoa. Ela é capaz de alcançar onde nenhuma outra técnica alcança. Sabemos que a música fala por nós e através dela conseguimos descrever nossos sentimentos mais difíceis de serem expressados. Muitos métodos terapêuticos usam a música para propiciar bem-estar físico e mental. Gestantes, crianças, jovens, adultos e idosos são bastante beneficiados com esse tipo de trabalho. Seus benefícios vão desde ouvir e produzir melodias e canções que propiciam conexões e estímulos voltados para a habilidades cognitivas como aprendizagem e memória, bem como emocionais, a de auxiliar no desenvolvimento social. Nesta edição, a psicóloga e musicista Paula M. Freitas Corrêa Botesele, da clínica Soma, irá falar sobre a musicalização infantil DIR/Floortime (tempo de chão) com as crianças.

 

Página 2 e 3 – O que se trabalha na musicalização infantil DIR/Floortime?

Muitas pessoas têm dúvidas a respeito dessa técnica terapêutica e, quando surge o interesse, a primeira questão que aparece é como funciona este método, informa a psicóloga.

Partindo do princípio de que a música já é, por si só, altamente terapêutica, ela contribui como uma ferramenta extremamente importante no método DIR/Floortime que busca, através do afeto, criar uma ligação profunda entre psicoterapeuta e paciente, complementa. “Com esse vínculo estabelecido, serão estimuladas as áreas de habilidades afetiva, social, adaptativa, expressiva, cognitiva e comunicativa da criança, buscando, inicialmente, estabelecer a capacidade de uma regulação emocional dirigida a si e também ao outro. Para tanto, o psicoterapeuta não irá apenas ofertar o estímulo esperando que a criança encontre o caminho sozinha, mas entrar no mundo dessa criança e, segurando sua mão, mostrar o caminho para um novo mundo, mais amplo e cheio de estímulos e novidades as quais ela ainda não experimentou”, comenta a especialista.

 

Metas da musicalização infantil no método Floortime

Ajudar a criança autista a se tornar mais alerta, ter mais iniciativa, ser mais flexível, tolerar frustração, planejar e executar sequências nas atividades que exijam esse processo, se comunicar usando o seu corpo, com gestos, e também despertar o uso da linguagem verbal através da intenção vocal, para que consiga usar a verbalização, além de explorar a espontaneidade essencial em todas as crianças.

Paula acrescenta dizendo que o mais importante é despertar na criança o prazer de aprender com o novo, e para isso, um dos objetivos écaptar respostas favoráveis por parte do pacientezinho. “Procuramos trabalhar dentro de seus interesses e explorá-lo até que este elabore seu foco e, assim, parta para um novo interesse, ou seja, abrindo e fechando ciclos, de forma que a criança autista não se acomode em restrições de comportamento, mas se acostume aumentar seus ciclos de aprendizagem, regulação e relacionamento”, detalha.

Dessa forma, os estágios de estimulação do método, baseiam-se basicamente em regulação e interesse no mundo externo, além de engajamento e relacionamento, bem como a intencionalidade e a comunicação de duas vias, ou seja, saber passar uma mensagem e compreender a mensagem recebida criando um ciclo comunicativo completo, ressalta a profissional. “Também a resolução de problemas juntamente à capacidade de regulação de humor, sendo capaz de compreender e tolerar frustrações e a formação de um sentimento de self, quando a criança se identifica como pessoa e não como um objeto ou ferramenta, aparecimento de símbolos e uso de palavras e ideias (nesse momento, as palavras irão substituir as ações) a criança passa não mais a apontar para o que deseja, mas expressar através da intenção vocal e, mais tarde, através de palavras e, por fim, o pensamento lógico e abstrato bem como uma significativa compreensão da realidade”, comenta.

De forma resumida, nas atividades de musicalização no método DIR/ Floortime os estímulos são direcionados para atenção, concentração, memória, movimento rítmico, noção temporal e espacial, linguagem verbal e não verbal comprometimento com a tarefa, tolerância a frustração, compreensão e identificação de sentimentos e emoções, bem como contribui para a inserção no campo pedagógico, fonoaudiológico, psicomotor, entre outros, estímulos estes que são oferecidos de forma afetiva e lúdica como propõe este inovador método terapêutico.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...