ANO: 25 | Nº: 6335
04/06/2019 Opinião

Cidades sustentáveis, alternativas para superar a crise econômica

Para o mundo do empreendedorismo, em tempos de crise a quem diga que as oportunidades são diversas. Para cada problema, mil soluções.  A tecnologia a favor do progresso e pessoas capacitadas, ainda pode contribuir significativamente para uma melhor qualidade de vida da sociedade brasileira. Se a economia vai mal é preciso que gestores públicos criem alternativas que irão beneficiar o bolso de cada cidadão. É cada vez mais notável que alternativas sustentáveis apareçam quando a questão é a falta de orçamento público para custear despesas de rotina e investimentos. Os negócios com viabilidade sustentável é uma das opções para amenizar problemas do setor produtivo/social respeitando o meio ambiente e trazendo resultados positivos para cada região que adota esse tipo de empreendimento. Além de dar mais segurança e tranquilidade ao cliente/consumidor, ele resgata a dignidade humana de cada pessoa envolvida no processo.

As cidades que seguem a sustentabilidade no Brasil são constituídas de orientações regulamentadas pela ONU (Organização das Nações Unidas) sobre estratégias de crescimento. Seguem também vários princípios para o avanço da qualidade da saúde e ao mesmo tempo diminuindo os impactos negativos ao meio ambiente. Cidades por exemplo que ainda não possuem aterros sanitários podem criar usinas de biodigestão. O próprio lixo da cidade tornará insumo utilizado para geração de energia, produção de gás e biofertilizantes para o plantio de orgânicos por produtores da região. Criação de parques de energias alternativas com captação eólica ou solar, que apresenta grande eficiência em seus resultados, custo reduzido na manutenção e baixo índice de geração de poluição ambiental. Cooperativas de agricultura orgânicas que deixam de utilizar agrotóxicos têm baixo custo de produção e alta rentabilidade. Além de abastecer o comércio local, é uma alternativa como fonte de alimentação saudável para as escolas municipais.

O sucesso de nosso país dependerá cada vez mais de agentes públicos comprometidos com valorações de responsabilidade, honestidade, iniciativa, Motivação e principalmente espírito de liderança. Requisitos indispensáveis para que estes gestores em sua atividade pratique um planejamento pensando em sustentabilidade. Suas ações empreendedoras deverão ser induzidas por políticas de desenvolvimento social e concebidas de forma espontânea pelas pessoas, reunindo metas em conjunto e colaborando para objetivos ecologicamente corretos. Vamos aproveitar o que nosso país tem de melhor. A natureza e todos os seus recursos que coabitam em nosso território, são fontes primordiais para a manutenção da vida humana e ainda podem ser deixados como uma cultura permanente para muitas gerações. Exploração sem reutilização é ir de encontro contra a própria natureza do nosso planeta. Pensemos um pouco mais na preservação do nosso meio ambiente, ou teremos que aceitar um velho provérbio indígena “Só quando a última arvore for derrubada, o último peixe for morto e o último rio for poluído é que o homem perceberá que ele não pode comer dinheiro”.

 
Thales Aguiar
Jornalista e escritor

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...