ANO: 26 | Nº: 6495
10/06/2019 Cidade

Sistemas de monitoramento da qualidade do ar apontam boas condições na Campanha

Foto: Divulgação/Eduardo Tavares

Emissões de gases poluentes atmosféricos são acompanhadas constantemente
Emissões de gases poluentes atmosféricos são acompanhadas constantemente

Os benefícios que um grande empreendimento traz são inegáveis, quando além de um número expressivo de postos de trabalho, também é responsável por uma gorda fatia do PIB de uma região. Contudo, quando esse empreendimento está ligado à queima de combustíveis fósseis, muita especulação e temores são gerados, principalmente em relação à qualidade do ar da região abrangida.
A Campanha gaúcha possui dois complexos, a Usina Termelétrica Presidente Médici, controlada pela Eletrobras/CGTEE, e a Usina Termelétrica Pampa Sul, sob responsabilidade da Engie Energia, ainda fora de operação. Ambos os complexos contam com equipamentos com tecnologia de ponta para mitigar as concentrações de poluentes atmosféricos.
Uma destas ferramentas são os sistemas de monitoramento da qualidade do ar. Estes inventários de emissões são capazes de mostrar a composição química da atmosfera na região. E a boa notícia, principalmente após uma semana de debates sobre a manutenção da saúde do Meio Ambiente, é que os equipamentos das duas usinas apontam boa qualidade do ar.
No caso da Usina controlada pela CGTEE, a mesma possui uma rede de monitoramento da qualidade do ar que avalia a concentração de poluentes no ar atmosférico, sejam eles gerados no uso do carvão mineral de Candiota para a geração de energia elétrica ou em outras atividades industriais e ações antropogênicas.
De acordo com as informações repassadas pela própria Companhia, esta rede é composta por três estações que monitoram a qualidade do ar, duas para condições meteorológicas e quatro de qualidade das chuvas, com capacidade de avaliar a dispersão de poluentes em âmbito regional.
O monitoramento da qualidade do ar é realizado de forma contínua, com dados gerados segundo a segundo para compor uma média horária, posteriormente transmitida a um centro de controle da Eletrobras/CGTEE, compartilhado com o Ibama. A Companhia possui uma equipe dedicada a realizar este monitoramento ambiental e os equipamentos são mantidos e calibrados periodicamente por empresa especializada, garantindo assim a qualidade do monitoramento.
Segundo o relatório compartilhado pela Companhia com o Ibama, os resultados de 2018 se mantiveram bem abaixo dos valores de referência definidos pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente e expressos na Resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) nº 491/2018, a qual dispõe sobre os padrões de qualidade do ar no território nacional.
Segundo o gerente geral da UTE Pampa Sul, Luiz Torres, está em pleno desenvolvimento o Programa de Monitoramento da Qualidade do Ar, Meteorológico e Emissões Atmosféricas que realiza o monitoramento dos impactos na qualidade do ar resultante das emissões atmosféricas da usina, com o objetivo de realizar um comparativo entre os dados de emissões atmosféricas obtidos e a legislação vigente, e apresentando um diagnóstico da qualidade ambiental da região que está sob vistoria. Ele conta que, para o desenvolvimento do trabalho, foram instaladas três estações de monitoramento da qualidade do ar: uma no canteiro de obras da UTE Pampa Sul, uma na Vila João Emílio e outra na Vila do Seival que, desde dezembro de 2017, passou a contar também com uma estação automática de monitoramento da qualidade do ar e meteorológica (com capacidade de medição da radiação solar, temperatura, umidade relativa, pressão atmosférica, quantidade e qualidade da água da chuva, direção e velocidade do vento).
Torres destaca que o objetivo das estações de monitoramento é avaliar a qualidade do ar para as comunidades. "Esta atividade vem sendo executada desde os primeiros trabalhos de terraplenagem na UTE Pampa Sul e, com a instalação da estação completa em Seival, foi possível monitorar a qualidade do ar antes do início dos primeiros testes da unidade. Essa análise servirá como base de comparação para o monitoramento que será realizado durante toda a vida útil da Usina bem como avaliará a qualidade da água da chuva e condições meteorológicas", destaca.
O monitoramento é realizado de forma constante e os dados obtidos repassados periodicamente ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O relatório entregue com resultados mais recentes obtidos por meio do desenvolvimento do Programa de Monitoramento da Qualidade do Ar, Meteorológico e Emissões Atmosféricas demonstra que a qualidade do ar pode ser considerada, de acordo com o Índice de Qualidade do Ar (IQAr), de qualidade "BOA" e em nível seguro à saúde. Importante destacar que, no Brasil, os padrões de qualidade do ar são estabelecidos por meio da Resolução Conama 03/90 e que a classificação BOA é a máxima do IQAr.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...