ANO: 26 | Nº: 6528
20/06/2019 Esportes

“Vamos montar um time com o perfil da torcida do Bagé”, destaca Badico

Foto: Arquivo pessoal

Profissional retorna ao clube que lhe revelou
Profissional retorna ao clube que lhe revelou
Sem muito alarde, o Bagé deu um passo nas definições para o futebol do segundo semestre. Na noite de terça-feira, em reunião no bar-temático do Estádio Pedra Moura, a direção confirmou a contratação de Rinaldo Lopes Costa (Badico), para o comando da equipe na Copa Antônio Carlos Verardi, a "Copinha". O profissional retorna ao local de origem, onde lhe revelou, profissionalmente, na carreira de treinador. Respaldado pelo trabalho realizado no São Paulo de Rio Grande, em 2019, pela Divisão de Acesso, Badico vem com uma ideia clara: montar uma equipe que vá ao encontro do perfil da torcida jalde-negra.
Nos próximos dias, Badico deve confirmar os demais integrantes da comissão técnica. Embora os nomes ainda não tenham sido divulgados, deixou claro que serão escolhidos profissionais que já trabalharam com ele em clubes anteriores. A previsão é de que a apresentação dos jogadores aconteça em 15 de julho. A Copa Antônio Carlos Verardi deve iniciar em agosto.

Característica do time

Badico pode ser considerado uma "cria da casa". Por isso, tem ciência do perfil e o método de trabalho que tende a funcionar no ambiente do Estádio Pedra Moura. No entanto, reconhece que várias mudanças foram feitas desde que trabalhou no clube pela última vez. "O Bagé tem uma torcida fanática, ansiosa por resultados. Coloquei, na reunião, que o trabalho vai depender de todos. O torcedor, a direção, os jogadores não resolvem sozinhos. Tive uma experiência maravilhosa em Rio Grande. Com a vinda do Rodrigo Trindade, houve um choque grande de gestão. Mas vejo que os diretores são parceiros. Nesse período, em que estou rodando o Estado, tenho a sensibilidade para entender o perfil de cada clube. E quando o torcedor compra a ideia e os jogadores se sentem seguros, as coisas fluem", argumenta.
Sobre características de equipe, Badico afirma que tudo vai depender dos jogadores que foram contratados. Porém, não abre mão de times com intensidade e marcação sob pressão. "Por isso, busco atletas com média de idade baixa. Não tenho problema com jogador jovem, até gosto de lançar. Tanto que sábado já vou acompanhar o jogo do juvenil. O que tiver de bom na cidade, aproveitamos. E o que faltar, vamos buscar fora para montarmos uma equipe forte e atingirmos o nosso objetivo, que é uma vaga na Copa do Brasil ou série D do Brasileiro.", enfatiza.
Questionado sobre as perspectivas com o projeto, Badico declara que tudo vai depender do retrospecto na Copinha. Contudo, não esconde que o investidor Rodrigo Trindade já trabalha pensando em 2020. "O futebol bajeense melhorou e essa vinda do Rodrigo foi fundamental, com seu poder de investimento. Hoje, vejo um Bagé com vida, refeitórios bons, alojamento e vestiários melhorados. O clube fez uma grande campanha, nesse ano, sempre com casa cheia. Nunca deixei de acompanhar o clube, pois tenho um elo muito forte. O Ducos, por exemplo, é meu padrinho de casamento. Tenho amizade com o 'Bochão', o Xuxa, o Fiapo, o Castelhano, o Luis Carlos Osório Alcalde, pessoa que tenho o máximo de respeito. Assim que o jogador for contratado, já vai receber um programa de treinamentos. Não aceito que ninguém se apresente acima do peso. E isso vai ser fundamental no desenvolvimento do campeonato", conclui.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...