ANO: 25 | Nº: 6312

Rochele Barbosa

rochelebarbosa@gmail.com
Jornalista formada pela Universidade da Região da Campanha. Responsável pela produção e reportagem do caderno de Saúde do Jornal MINUANO
24/06/2019 Caderno Minuano Saúde

Frio: alergias e ressecamento na pele

Foto: Divulgação

Página 2 ou 3
Página 2 ou 3

Durante o inverno, a umidade do ar baixa e as temperaturas mais frias levam à diminuição na transpiração corporal. Esses fatores fazem com que a pele fique mais seca. Além disso, nesta época, é comum tomarmos banhos mais quentes, que provocam uma remoção da oleosidade natural de forma mais intensa, diminuindo o manto lipídico que retém a umidade da pele.

Tanto a pele do rosto quanto a do corpo estão sujeitas ao ressecamento no inverno. O clima frio e seco pode deixá-las com aspecto esbranquiçado, o que indica a desnaturação das proteínas. Para evitar tais sintomas é importante fazer hidratações corporais mais profundas e, além disso, investir em uma alimentação saudável, rica em vitaminas e antioxidantes, o que pode trazer benefícios em longo prazo.

Nesta edição, o dermatologista Paulo Machado explica essas patologias comuns da temperatura fria.

Como cuidar da pele no frio

No inverno, diversos problemas se manifestam: a pele resseca e descama, os lábios racham, mas há o que fazer para resolver esses dramas. Com muita roupa, luvas, tocas e blusões de malhas sintéticas, as alergias e patologias na pele começam a aparecer.

O médico dermatologista, Paulo Roberto Machado, explica que, durante o inverno, todos têm uma perda de água maior e também se vestem e se abrigam mais. "A superfície da pele acaba ressecando, ela racha, e essa perda de água tira a primeira proteção, que a gente chama de primeira barreira da pele. A perda dessa primeira proteção leva o paciente a ter mais alergias, coceiras, deixa a pele vermelha com facilidade, a pele fica mais sensível. Além disso, o tecido sintético derivado do petróleo acaba fazendo mal para os mais alérgicos", garante.

Machado também relata que todos devem prestar mais atenção na hidratação da pele, em especial nas épocas frias. "O ressecamento da pele requer hidratantes mais oleosos e deve-se sempre prestar atenção nos tipos de manchas na pele", destaca.

Na nossa região, com o vento frio, o ressecamento é maior, comenta o dermatologista. "Hidratação e cuidados sempre nas funções externas são importantes dicas para melhorar a pele ressecada", complementa.

Além do ressecamento, outro mal do inverno é a dermatite de contato. "As alergias aparecem no contato com o fator alérgico; o tratamento deve ser com cremes anti-inflamatórios", salienta.

As micoses também surgem nesta estação, comenta o médico, devido a falta de cuidados, como secagem ruim, deixando umidade entre dedos dos pés e mãos, onde os fungos se concentram. "O tratamento é orientado pelo médico, com fungicidas. Outra doença comum é a escabiose, a sarna, que são micro aracnídeos que entram por baixo da pele, cavam micro túneis e dão coceira e prurido intenso. O tratamento é com escabicida", relata.

Por fim, o dermatologista destaca o problema circulatório de extremidades, as conhecidas frieiras, que racham as pontas dos dedos dos pés e mãos. "É um déficit do retorno venoso nas extremidades, devem ser feitos exercícios e também uso de medicações para a cura. É importante não usar luvas e também roupas de tecidos puros, como algodão e lã pura", finaliza.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...