ANO: 25 | Nº: 6334
27/06/2019 Urcamp em Pauta

Curso de Direito: 50 anos formando profissionais capacitados para o mercado de trabalho

Foto: Reprodução JM

Geovana disse que sonhava em fazer o curso
Geovana disse que sonhava em fazer o curso
por Mário Pereira
Acadêmico de Jornalismo da Urcamp

Diante da permanente transformação e do ritmo acelerado de mudanças na sociedade, surgem os conflitos e desajustes e, consequentemente, a necessidade de minimizar essas divergências, condição indispensável para o livre exercício da cidadania. A ciência do Direito é o ramo que estuda as normas obrigatórias que controlam essas relações em sociedade e as normas jurídicas estabelecidas no País. Assim, o curso de Direito da Urcamp forma profissionais capacitados para contribuir na construção dessa sociedade mais justa a todos.

Segundo o coordenador do curso de Direito da Urcamp, professor Heron Ungaretti Vaz, a graduação oferecida há 50 anos, pela instituição, sempre promoveu sua estrutura curricular não só no que tange às práticas profissionais do mercado de trabalho, mas na formação de caráter humanístico. O curso também potencializa a avaliação crítica acerca dos problemas individuais e sociais que o profissional for encontrar no caminho. "Esta mudança na forma de pensar do egresso promove bons índices de inserção no mercado de trabalho, no Exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e em concursos públicos", ressaltou Vaz.

O coordenador destaca que parte significativa dos quadros da magistratura, Ministério Público, Defensoria Pública, Polícia Civil, entre outras instituições, é composta por egressos da instituição. "Os índices de aprovação no Exame da OAB estão, historicamente, acima da média das instituições de Ensino Superior do Rio Grande do Sul e do Brasil", afirma.

Sempre em busca de inovação, o curso inicia em agosto deste ano uma nova fase: a implantação da Graduação I, com o currículo amplamente reestruturado para suprir as demandas do mundo moderno. O novo formato vai proporcionar a criação de um perfil profissional pautado na inovação e no empreendedorismo. "O acadêmico vai praticar o Direito desde o primeiro semestre, unindo teoria e prática em processos de aprendizagem no ensino por competências", explica o coordenador.

Com a mudança, o curso será oferecido já neste Vestibular de Inverno, com uma mensalidade mais acessível e competitiva no mercado, mantendo a qualidade e aulas 100% presenciais. A graduação será oferecida em Bagé, Santana do Livramento, São Gabriel e Alegrete.

"Nossa comunidade requer a presença de profissionais qualificados, o que vem ao encontro da expectativa da Urcamp em formar bacharéis comprometidos com a solução das demandas jurídicas locais", disse. A profissão abre um leque de múltiplas opções: carreira de advocacia, serviços públicos (habilitando para a grande maioria dos concursos) e para a docência.

A acadêmica do primeiro semestre Geovana Lucas Camargo, de 18 anos, conta que cursar Direito era um sonho desde o início do Ensino Médio. Em 2019, conquistou uma bolsa integral para estudar na Urcamp, através do Programa Universidade para Todos (ProUni). "Está sendo maravilhoso. Estou gostando muito da forma de aprendizado e, principalmente, dos professores. Saber sobre nossos direitos e deveres está sendo incrível", enfatiza.

Formado no segundo semestre de 2014, Nícolas Hubert Ott, de 28 anos, ocupa, atualmente, a função de Procurador Jurídico na Prefeitura de Aceguá. Segundo o profissional, a qualidade do curso oferecido pela instituição foi fundamental para sua inserção no mercado de trabalho e uma forte base para sua aprovação no Exame da OAB, ano qual obteve aprovação ainda com a graduação em curso.

"Ao ingressar, percebi que a imensidão do curso e do próprio Direito é muito maior do que aquilo que a gente imagina. E essa imensidão de características e detalhes é apaixonante. eEnquanto isso, desperta cada vez mais o desejo de saber o porquê de cada norma ter sido instituída como foi", destaca.

Para Ott, a Urcamp é uma instituição reconhecida no meio jurídico. "Tive, em poucos anos, após a conclusão do curso, muitas oportunidades na advocacia privada e também pública, o que com certeza é o reflexo do aprendizado e do intenso estudo. O curso de Direito, na forma que eu tive acesso, sem dúvida, embasa grande parte do meu lado profissional e pessoal na atualidade", relatou.

Reconhecimento da OAB

Em 2016, o curso teve o reconhecimento do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, através da Comissão de Ensino Jurídico, que expediu uma certificação especial - Selo de Qualidade da OAB. A Urcamp foi única instituição de Ensino Superior entre as comunitárias da Região Sul a receber o reconhecimento. "Dos 90 cursos existentes no Estado, apenas oito conquistaram o reconhecimento", lembrou Vaz.

Núcleo de Prática Jurídica

Aliando o aprendizado à prática, os alunos auxiliam a comunidade com assistência jurídica, resolvendo suas demandas de forma gratuita. O coordenador Heron Vaz ressalta a importância da extensão jurídica permanente promovida pelo Núcleo, realizando mais de cinco mil atendimentos por ano. O serviço é prestado, pelos estagiários, à comunidade carente, com orientação dos professores. O Núcleo de Prática Jurídica da Urcamp foi avaliado com nota máxima na última avaliação do Ministério de Educação.

Jubileu de Ouro

O curso de Direito da Urcamp comemora, em 2019, 50 anos de fundação. As atividades iniciaram em 18 de novembro de 1969, com o Decreto Federal n.º 65.717. As Faculdades Unidas de Bagé (FunBa) receberam autorização de funcionamento da Faculdade de Direito, obtendo reconhecimento pelo Decreto Federal n.º 75.052/74 de 6 de dezembro de 1974. A medida se deu a partir de uma mobilização feita por Attila Taborda, fundador da FAT/Urcamp, junto ao filho, Tarcísio Taborda, entre outras figuras importantes no meio jurídico da época, como o professor Carlos Rodolfo Moglia Thompson Flores, que foi o primeiro diretor da Faculdade de Direito.

No ano de 1974, a então Funba formou os primeiros 48 bacharéis em Direito. A turma foi batizada com o nome do professor Davi Ulisses Chaves Simões Pires, o paraninfo foi o professor Carlos Rodolfo Moglia Thompson Flores e o orador, João Bosco Abero. Desde então, o curso formou mais de quatro mil bacharéis, inseridos nas mais variadas carreiras jurídicas. "O número é bastante expressivo considerando o contexto demográfico e socioeconômico da Região da Campanha", finaliza Vaz.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...