ANO: 25 | Nº: 6335
27/06/2019 Campo e Negócios

Farsul reinstala Comissão do Leite

Foto: Gerson Raugust/Farsul/EspecialJM

Grupo busca atuar no fortalecimento da cadeia produtiva do setor
Grupo busca atuar no fortalecimento da cadeia produtiva do setor
Reinstalação da Comissão do Leite da Farsul, definição de preços do Conseleite e o desenvolvimento da cadeia da região Sul, proposto pela Aliança Láctea Sul Brasileira, pautaram três reuniões realizadas, nesta semana, na sede da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul). A estrutura da cadeia produtiva, investimento para o setor e Instruções Normativas foram debatidos por produtores, indústrias, cooperativas e governo durante os encontros.

O processo de reestruturação e reativação de comissões da Farsul chegou ao setor lácteo. Na tarde da terça-feira, representantes de sindicatos rurais oficializaram a retomada da Comissão do Leite da Farsul e indicaram Leonel da Fonseca, do Sindicato Rural de Pelotas, para a coordenação. Para ele, a primeira ação passa pelo aumento do número de integrantes de outros sindicatos que tenham ligação com a produção leiteira. "Nós precisamos, como comissão, reativar efetivamente essa parceria Farsul e demais sindicatos na área do leite. Colocá-la, efetivamente, na ativa com produtores que vistam a camiseta. Temos que ter gente que viva o dia a dia de uma propriedade e que o principal negócio seja leite", comenta. O subcoordenador é Sérgio Munari, do Sindicato Rural do Vale do Paranhana.

Esse primeiro encontro serviu para a apresentação do funcionamento das comissões. Ficou decidido entre os participantes que as primeiras ações serão voltadas para a destinação dos impostos pagos pelos produtores e os investimentos dos recursos do Fundoleite. A metodologia para o cálculo preço referência feito pelo Conseleite também estará em debate. "Nós vamos agregar outros sindicatos. Aliás, todos estão convidados para que indiquem seus representantes para ter uma representatividade melhor da cadeia leite no Estado. Em um primeiro momento, partimos de alguns questionamentos da metodologia do Conseleite para tentar ter mais transparência para que todos os produtores entendam", explica Fonseca.

Os encontros serão mensais, nas mesmas datas das reuniões do Conseleite, como aconteceu na terça-feira, quando o conselho esteve reunido pela manhã, quando divulgou o valor de referência projetado para junho de R$ 1,1297 o litro, valor 4,14% menor do que o consolidado de maio, que fechou em R$ 1,1784. Conforme o professor da UPF, Eduardo Finamore, o resultado reflete queda do leite UHT (-3,27%), do leite em pó (-1,16%) e do queijo mussarela (-4,57%) no mês.

Ovinos
Nesta semana, também, a Comissão de Ovinos da Farsul esteve reunida, pela terceira vez após sua reinstalação. O grupo tem como principal objetivo colaborar no desenvolvimento da ovinocultura como negócio. E para isso, está trabalhando na divulgação do aprimoramento técnico por meio do In-Ovinos. A proposta é de levar informação aos produtores por meio dos representantes dos sindicatos que compõe a comissão. “O In-Ovinos seria essa informação técnica de acordo com o momento do ciclo anual da ovinocultura. Assim, conseguimos levar ao produtor vários cuidados para que ele melhore suas taxas de produção”, explica o coordenador da comissão, André Camozzato.
A ideia é de que o produtor receba a informação de acordo com o que ele está vivenciando na propriedade, “não adianta falar de coisas que vão acontecer em março se ele está em julho ou no pré-parto”, comenta Camozzato. Assim, a cada reunião, um técnico é convidado a palestrar. O material apresentado é disponibilizado para que possa circular entre os produtores. Conforme ele, o desafio "é transformar a ovinocultura num negócio e ele não é pequeno não é pequeno. Passa por torná-la um sistema de maior produção e de maior impacto econômico nas propriedades”.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...