ANO: 25 | Nº: 6283

Egon Kopereck

egonkopereck@gmail.com
Pastor da Congregação Evangélica Luterana da Paz
06/07/2019 Egon Kopereck (Opinião)

Com Deus não se brinca

Amigos leitores!
É comum ouvirmos expressões como: "Pelo amor de Deus", "Deus me livre" "Deus me perdoe", e quando essas frases saem, sem na verdade estar pensando em Deus, estão erradas e são pecado. Deus diz em Êxodo 20.7: "Não tome o nome do Senhor, seu Deus, em vão, porque o Senhor não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão." Deus quer que usemos o seu nome quantas vezes quisermos, e promete nos ouvir e atender, mas para invoca-lo em todas as necessidades: orar, louvar e agradecer.
Certo menino gostava de brincar com sua mãe, gritando por socorro, pedindo: "Mãe! Me ajuda!" Quando a mãe vinha, ele ria e dizia: "Eu só queria te enganar." Certo dia, ele se encontrava realmente em apuros, chamou pela mãe, mas ela não veio achando que, mais uma vez, era brincadeira do seu filho. Muitas pessoas agem assim com Deus. Usam o seu nome em vão, sem pensar nele, e quando um dia realmente querem falar com Deus, talvez ele não as atenda, porque sempre usavam seu nome em vão, chamando-o sem necessidade.
Deus quer ouvir nossa voz. Ele quer nos atender. Ele nos convida: "Invoque-me no dia da angústia; eu o livrarei, e você me glorificará." (Salmo 50.15) Em Mateus 11.28: "Venham a mim todos vocês que estão cansados e sobrecarregados, e eu os aliviarei." E ainda em Mateus 7.7 e 8: "Peçam e lhes será dado; busquem e acharão; batam, e a porta será aberta para vocês. Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e, a quem bate, a porta será aberta." Assim poderíamos citar dezenas de textos da Bíblia, onde Deus nos recomenda falar com ele, buscar a sua ajuda, e promete nos ouvir e atender, mas, por outro lado, ele não quer que brinquemos com o seu nome, usando-o sem necessidade, chamando a ele sem estar ligado nele. Quando isso acontece estamos usando o seu nome em vão, e ele diz: "Eu não terei por inocente quem tomar o meu nome em vão."
Falar com Deus, buscar a sua ajuda, entregar nossa vida em suas mãos, que privilégio. É o telefone do céu que nunca está ocupado, mas sempre disponível. Por outro lado, também não devemos esquecer de voltar para agradecer. A gratidão é um sentimento muito bonito, mas muitas vezes esquecido por nós. Certa ocasião dez leprosos pediram a ajuda de Deus. Todos eles foram atendidos e curados, mas apenas um voltou para agradecer (Lucas 17.11 ss). A ingratidão, muitas vezes, se manifesta em nossas atitudes. Uma vez um senhor me pediu para orar por ele, pois naquela semana ele teria uma situação bem delicada para resolver. No domingo seguinte, conversando com ele, lhe perguntei: "Como foi a questão na quinta-feira passada?" Ao que ele, muito rapidamente respondeu: "Pastor! Eu tive uma sorte!" Ao que lhe atalhei: "Como foi?" E ele logo reconheceu: "Claro! Deus me ajudou." Muitas vezes conversamos com Deus, lhe pedimos ajuda, e, depois, atribuímos a solução à sorte, ou ao acaso.
Amigos leitores! Pedir e agradecer. Deus quer ouvir nossa voz. Ele quer nos ajudar e socorrer, mas não brinquemos com seu nome. Quando o chamarmos, façamos isso realmente pensando nele, conversando com ele, buscando sua ajuda, proteção e bênção e, então, não esqueçamos de voltar para agradecer, até quando a resposta não foi como nós queríamos, porque Deus sempre faz o melhor por nós e sempre quer o nosso bem. Aceitemos a sua vontade em nossa vida, confiemos nele, e, como ele prometeu: "O mais ele fará" (Salmo 37.5, pois, com ele "Nada nos faltará." Salmo 23.1.


Pastor da Congregação Ev. Luterana da Paz, Bagé, RS

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...