ANO: 25 | Nº: 6335

Norberto Dutra

redacaominuano@gmail.com
Pastor e presidente da Igreja Assembleia de Deus de Bagé Doutor em Divindade
06/07/2019 Norberto Dutra (Opinião)

Para ser um verdadeiro cristão é preciso ser servo

Judas e Tiago, em vez de ostentarem o honrado e privilégio de serem meio-irmãos de Jesus, autodenominaram-se servos do Filho de Deus (Tg 1.1;.Jd 1.1). Além desses personagens singulares, que reconheceram a divindade de Cristo e submeteram-se irrevogavelmente ao Seu senhorio, destaca-se Paulo, o homem a quem mais se faz menção no Novo Testamento (direta ou indiretamente), depois de Jesus. Versado tanto nas Escrituras hebraicas quando na Septuaginta grega, conhecedor da filosofia greco-romana, perito no método exegético de interpretação rabínica (o Midrash judaico) e um debatedor-mestre, Paulo muito bem poderia ser um ministro para os judeus; no entanto, pela divina misericórdia, ele foi separado como apóstolo para anunciar as boas-novas de salvação aos povos mais distintos (Atos 9.15) – possivelmente só não houve uma desastrosa e definitiva separação entre judeus e gentios conversos por causa de seu particular ministério. Observe de que forma Paulo apresenta-se nas introduções de quatro de suas cartas: Paulo, apóstolo (não da parte dos homens, nem por homem algum, mas por Jesus Cristo e por Deus Pai, que o ressuscitou dos mortos) Gálatas 1.1 . Paulo, apóstolo de Jesus Cristo, pela vontade de Deus, aos santos que estão em Éfeso e fiéis em Cristo Jesus. (Efésios 1.1) Paulo, apóstolo de Jesus Cristo, pela vontade de Deus, e o irmão Timóteo. (Colossenses 1.1) Paulo, apóstolo de Jesus Cristo, segundo o mandado de Deus, nosso Salvador, e do Senhor Jesus Cristo, esperança nossa. (1 Timóteo 1.1) Ao chamar a si mesmo de apóstolo, Paulo coloca-se no mesmo nível daqueles que foram designados pelo Senhor para o Seu serviço. Ele entendia que, mesmo antes de Jesus tê-lo interpelado na estrada para Damasco, Deus o havia separado para ser um produtivo ministro do evangelho da graça ( Gálatas 1.15). Contudo, na Carta que escreveu aos Coríntios, visando ao bem do evangelho, ao mesmo tempo em que se apresenta como apóstolo (1 Coríntios 1.1), ele abre mão dos seus direitos apostolares, declarando-se apenas servo (ou escravo) de todos (1 Coríntios 9.19b). observe ainda de que forma ele se apresenta nas introduções de outras três cartas: Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para apóstolo, separado para o evangelho de Deus. (Romanos 1.1) Paulo e Timóteo, servos de Jesus Cristo, a todos os santos em Cristo Jesus que estão em Filipos, com os bispos e diáconos. (Filipenses 1.1) Paulo, servo de Deus e apóstolo de Jesus Cristo, segundo a fé dos eleitos de Deus e o conhecimento da verdade, que é segundo a piedade. (Tito 1.1) Deus abençoe e até o próximo final de semana. Amém!

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...