ANO: 25 | Nº: 6381
06/07/2019 Cidade

Prestes a reabrir Salão Nobre, Imba vive nova fase

Foto: Reprodução JM

Número de alunos elevou de 620 para 780
Número de alunos elevou de 620 para 780
Um dos ícones da história de Bagé, o Instituto Municipal de Belas Artes (Imba), espaço cultural ligado à Secretaria de Cultura e Turismo (Secult), passou por diversas melhorias recentemente. Agora, prestes a reabrir o Salão Carlos Gomes, depois de mais de três anos fechado, o local comemora nova fase.

Na parte física, o prédio passa por reforma que inclui não somente a recuperação do Salão, mas também, do parquet, troca de luminárias, de banheiros, troca do piso superior, conserto do forro. Desde 2017, a prefeitura repassa, para a Associação dos Amigos do Imba (Amimba), R$ 22,2 mil. O diretor da instituição, Flávio Dutra, ressalta que não foram realizadas apenas melhorias físicas. "Também fizemos importantes avanços em programação e grade de cursos", diz. Entre os exemplos, são mencionadas a criação do Coral Infantil, Grupo de Chorinho, retorno do grupo de Flauta Doce, Camerata (grupo de violão clássico), entre outros.

As melhorias refletiram no aumento do número de alunos, que subiu de 620 para 780, além da elevação do número de bolsas oferecidas, que hoje obedece a critérios de seleção. "São cerca de 280 alunos estudando com bolsa, ou seja, é o Instituto cumprindo seu papel social", destacou.

Dentro do incremento da programação, foram criadas a Noite da Bossa Nova, da Jovem Guarda, do Samba, do Nativismo, do Sopro, do Canto e Recital de Violinos. "Assim, aumentamos os eventos populares e abrimos o Imba cada vez mais para comunidade", acredita o diretor.

Dutra destaca, também, o projeto Imba Itinerante, que leva música clássica aos bairros da cidade em escolas, hospitais e no projeto Meu Bairro Melhor (MBM), bem como a parceria com o Centro do Idoso no Carnaval das Marchinhas e um professor disponível no local para aula de violão coletivo.

Outras ações, como a pintura das barras das bailarinas, inauguração da Biblioteca do Imba, atualização da galeria de ex-diretores, mesas novas para sala da direção, compra de novas cadeiras para os professores, manutenção da rede elétrica, troca e reposição das luzes de emergência, recarga dos extintores, troca das peles das baterias e manutenção de todos os instrumentos de sopro, também fazem parte da lista de melhorias. "O Imba representa parte da história cultural de Bagé, por isso nos empenhamos para que, a cada dia, possa ser melhor utilizado pela comunidade. A gestão tem se preocupado não apenas com a estrutura física, como também com as demais melhorias para que o Instituto continue sendo referência", disse.

Para a secretária de Cultura e Turismo, Anacarla Flores, todo o esforço para manter a Instituição vale a pena. "O Imba é um patrimônio imensurável para a nossa comunidade. Temos importantes parcerias como Exército Brasileiro, Sociedade Espanhola, Tintas Falk, Associação dos Amigos do Imba, que recebe repasse mensal da prefeitura, por meio da Secult, o que possibilita expandir e potencializar as atividades nesse importante espaço cultural histórico. O governo tem como foco aprimorar este importante aparelho cultural de Bagé, fazendo com que a cada dia a qualidade dos serviços prestados à comunidade e a estrutura melhore", complementou.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...