ANO: 25 | Nº: 6486
17/07/2019 Felipe Valduga (Editorial)

208 anos e mais de 120 mil perspectivas


Comemorar uma história longínqua como a de Bagé , que completa, nesta quarta-feira, nada menos que 208 anos, é motivo de alegria para qualquer bajeense nato ou de coração (e são muitos, com certeza). Em parte, os incontáveis fatos e personagens que marcaram o passado são relembrados, de maneira mais que justa, para não deixar que, com o andar dos anos, sejam esquecidos. Ao mesmo tempo, tal data abre espaço para uma profunda e necessária reflexão. O que os caminhos trilhados trouxeram e quais os próximos passos a serem dados?
Pensando em oportunizar que os próprios bajeenses pudessem expor suas opiniões a respeito do futuro, o MINUANO utilizou uma das abordagens mais diretas para avaliação da opinião pública - uma enquete, - para que personagens diversos, que transitam por todos os cantos deste município, dia após dia, expusessem, a partir de suas visões da realidade, quais seriam os principais gargalos ou, ainda, possíveis alternativas que permitam um desenvolvimento prático para Bagé.
As opiniões, como era até esperado, são das mais variadas. Elas podem, ou não, refletir caminhos eficientes para o futuro, mas expõem o que uma parcela (simbólica, é claro) da sociedade deseja. E isto é entendível. São 208 anos de fundação, muitas histórias, e uma população com mais de 120 mil habitantes, com percepções das mais distintas.
De qualquer modo, o desejo, hoje, é que o futuro reserve as melhores notícias possíveis para a Rainha da Fronteira. Que esta bicentenária comunidade prospere, cresça, e possa atender os anseios de todos os bajeenses. Parabéns, Bagé!

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...